IMG_3841.png

Anos iniciais do Ensino Fundamental

De 1º a 5º ano

Avaliação da aprendizagem

Atividades Diagnósticas

Os professores utilizam várias ferramentas para diagnosticar os níveis de proficiência de cada aluno em relação aos conteúdos já estudados. As atividades diagnósticas são sondagens sem o objetivo de atribuição de notas. São importantes para a compreensão de aprendizagem da turma e mostrar caminhos para uma intervenção visando sua melhoria. Para os 3º, 4º e 5º anos utilizamos a plataforma Eduqo na aplicação das avaliações diagnósticas de Língua Portuguesa, Matemática e Inglês.

Para os 1º e 2º anos, as atividades diagnósticas visam identificar, principalmente, em que momento cada aluno está em relação ao processo de alfabetização (escrita e leitura). 

 

Grupo de Apoio/Recuperação

O Grupo de Apoio/Recuperação oferecido pela escola, tem como objetivo ajudar os alunos a avançarem no processo de aprendizagem nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática. A partir do resultado das avaliações diagnósticas, os professores farão um planejamento para o Grupo de Apoio/Recuperação dedicado aos alunos convocados daquele grupo/série. com estratégias de revisão, recuperação e reforço dos conteúdos essenciais para o ano de 2021. 

Para este Grupo de Apoio/Recuperação serão oferecidas atividades síncronas e assíncronas elaboradas pelas professoras polivalentes e acompanhadas por educadoras da escola. As atividades síncronas/presenciais serão realizadas no horário inverso ao período normal das aulas. As atividades assíncronas serão postadas no Google Sala de Aula e realizadas remotamente, conforme disponibilidade de horário dos alunos. As educadoras acompanharão a entrega destas atividades e também farão a correção das mesmas e a devolutiva para as professoras polivalentes, informando o desempenho desses alunos.

 

A convocação para o Grupo de Apoio/Recuperação será feita mensalmente a partir dos diagnósticos individualizados que a professora tutora da turma realizar.  Esses alunos receberão um cronograma, constando dias e horários das aulas síncronas/presenciais. A colaboração das famílias no sentido de incentivar a presença dos seus filhos às aulas de apoio/recuperação é imprescindível. 

 

Atividades e Trabalhos avaliativos (aplicados para todos os alunos, mas valendo nota somente para 3º, 4º e 5º anos).

As atividades e os trabalhos são disponibilizados na plataforma Google Sala de Aula ou durante as aulas presenciais. O objetivo desses trabalhos é acompanhar o processo individual de aprendizagem das crianças, medindo erros e acertos. No sentido de ajudar, de tomar providências e não apenas de constatar notas.

 

Avaliações Sistematizadas (aplicadas e valendo nota somente para 3º, 4º e 5º anos).

Utilizamos ferramentas diferenciadas para a aplicação das provas. O objetivo destes instrumentos é determinar o aproveitamento cognitivo dos alunos, em decorrência da aprendizagem. 

Algumas avaliações de Língua Portuguesa, Matemática e Inglês são realizadas através da plataforma Eduqo que após a correção das provas, fornece relatórios individuais com várias informações importantes sobre o processo de aprendizagem, baseados nas habilidades adquiridas por cada aluno e em cada item avaliado. 

Para os demais componentes curriculares, as avaliações são realizadas através do Google Formulários, Google Documentos ou impressas e resolvidas na sala de aula presencial .

 

1º ano (anual) e 2º ano (1º trimestre)

O processo de avaliação dos alunos é contínuo. Todos os momentos e atividades são acompanhados pelos professores e o resultado dessa observação é registrado trimestralmente segundo critérios objetivos e por meios de relatórios individuais e/ou coletivos, levando-se em conta as aprendizagens fundamentais nos aspectos cognitivos e comportamentais.

 

2º ano (2º e 3º trimestres) e demais séries 

A avaliação, parte integrante do processo ensino-aprendizagem, será contínua, cumulativa e considerará no desempenho do aluno a prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, amparada nos objetivos e desenvolvimento do Projeto Pedagógico do Colégio, a fim de proporcionar aos seus alunos:

I. continuidade de aprendizagem na construção do seu conhecimento;

II. condições de prosseguimento de seus estudos em nível mais elevado;

III. contribuição para a integração definitiva do educando no usufruto da cidadania.

A verificação do aproveitamento se dará conforme o que está exposto no item Avaliação  nas páginas iniciais deste Plano Diretor.

 

Lição de casa

A lição de casa como oportunidade de autoconhecimento e reflexão é aquela que propõe ao aluno, de forma orientada, uma análise de sua aprendizagem diante de um determinado conteúdo, seja ele um conceito, um procedimento ou uma atitude. Esse tipo de atividade deve proporcionar ao aluno perguntar-se sobre:

  • O que sei deste conteúdo?

  • O que ainda não consegui entender?

  • Que perguntas gostaria de fazer?

Propor ao estudante que reflita sobre essas questões e expresse seus sentimentos e sua percepção de como avaliar seu processo de ensino, poderá ser um instrumento eficaz de aprendizagem.

A lição de casa apresenta:

  • legibilidade e clareza; 

  • coerência nos enunciados;

  • propostas desafiadoras; 

  • diversidade de procedimentos envolvidos;

  • propostas contextualizadas;

  • atividades que possibilitem a sistematização, a fixação, a criação, a busca do conhecimento;

  • atividades que proporcionam ao estudante a reflexão do seu próprio processo de aprendizagem;

A lição de casa é solicitada diariamente para os estudantes. No 1º trimestre do 1º ano, os alunos terão lição de casa de segunda a quinta-feira. Porém, há casos, por exemplo, em que o andamento do projeto de classe necessita de dados e estes serão coletados com mais facilidade no final de semana. A partir do 2º trimestre, as lições serão diárias.

Para os estudantes de 2º, 3º, 4º e 5º anos, a lição de casa será enviada todos os dias da semana. 

Toda a tarefa solicitada pelo professor deverá receber algum tipo de tratamento, que pode variar conforme o objetivo. Por exemplo:

  • Correção individual feita pelo professor: neste tipo de correção, o professor avalia o trabalho de cada estudante com o objetivo de conhecer o que consegue fazer sozinho, sondar a situação da classe em relação ao conteúdo da lição, propor novas atividades, apontar para o estudante as revisões necessárias e situá-lo em relação ao seu desempenho.

  • Correção coletiva feita pelo estudante com a mediação do professor e dos colegas: a correção coletiva tem como objetivo desenvolver no estudante a competência para a autocorreção orientada. Nesta correção, o professor trabalha com a ideia de que podem existir várias maneiras de se resolver uma situação, de que não há, necessariamente, uma única resposta correta, e com a ideia de que a socialização das respostas do grupo-classe poderá trazer contribuições para a resposta que elaborou individualmente. É uma correção que merece bastante atenção por parte do professor, pois não se trata apenas de conferir respostas, mas de capacitar o estudante a comparar respostas, verificando semelhanças e diferenças quanto ao conteúdo e forma de apresentá-las.

  • Correção feita em duplas de alunos, com posterior revisão do professor: esta forma de correção permite aos estudantes uma troca efetiva sobre o trabalho realizado em casa. O professor pode orientar essa correção oferecendo, por exemplo, um roteiro de análise a partir do qual os estudantes avaliam os seus próprios trabalhos e apontam o que deve ser revisto. Ao recolher a correção feita em duplas, o professor analisa também a capacidade de autocorreção da dupla e as intervenções necessárias.

  • Correção por amostragem feita pelo professor: a amostragem é um recurso que o professor pode utilizar em algumas tarefas, diminuindo a sobrecarga de atividades a serem corrigidas. Assim, com uma classe, por exemplo, de trinta alunos, poderá analisar o aprendizado de um determinado conteúdo, corrigindo atividades de seis alunos por dia. Ao final de uma semana, terá dados de cada estudante individualmente e da classe como um todo. As atividades dos outros estudantes poderão receber o tratamento da correção coletiva.

  • Autocorreção: para tarefas mais objetivas, o professor poderá propor que os estudantes exercitem a autocorreção, procedimento de extrema importância no processo de aprendizagem do estudante. Poderá, para isso, elaborar um roteiro de análise e/ou um gabarito, para que o estudante tenha condições de refletir sobre suas respostas, identificar possíveis erros e tentar refazer o que for necessário.

Em relação ao tipo de correção, a diversidade também é um fator favorável para o desenvolvimento de procedimentos de aprendizagem no estudante. A utilização de diferentes formas de correção poderá romper com a ideia de que o estudante faz a lição somente para o professor corrigir, estabelecendo assim uma relação mecânica e sem significado com o conhecimento. A relação democrática na sala de aula, o clima de confiança recíproca entre professor e estudantes e a compreensão de que o erro é um caminho necessário para aprender precisam ser intencionalmente construídos para que seja possível a realização e o tratamento da lição de casa com mais sentido.

Nas séries iniciais, a lição de casa faz parte do relacionamento da criança com os estudos e suas obrigações. A escola tem o papel de sistematizar atividades que favoreçam o processo de aprendizagem. Além da fixação do conteúdo, é importante a responsabilidade que, aos poucos, a criança irá adquirindo, para entregar uma tarefa em ordem, limpa, sem rasuras, tendo comprometimento com a escola.

É preciso salientar a importância do compromisso que deve ser estabelecido entre professor e alunos sobre a lição de casa. Esse compromisso deverá ser trabalhado diariamente, a partir de atitudes e regras claras. Por exemplo, se a tarefa foi combinada para determinado dia, tanto o professor como o estudante devem assumir esse compromisso. Cabe ao professor organizar a rotina da aula daquele dia, para que a lição receba o tratamento adequado e o trabalho do estudante seja valorizado. O estudante deverá ter clareza das consequências, em seu desempenho, do fato de não cumprir as tarefas. Cabe ainda ao professor fazer devolutivas sobre a qualidade do trabalho do estudante de forma clara e acessível e com prazos razoáveis. 

A devolutiva de avaliação do trabalho do estudante deverá ser feita através de comentários escritos ou orais, com o objetivo de situar o estudante sobre o seu desempenho e auxiliá-lo, se for o caso, a rever seus procedimentos.

Instituto Inovar de Educação Internacional

Avenida Engenheiro Alberto de Zagottis, 1301

Jardim Marajoara - 04675-085