6-8-ano-topo.jpg

Anos Finais do Ensino Fundamental

De 6º ao 8º ano

Eixos temáticos

Os eixos temáticos são canais do conhecimento que possibilitam aos docentes um trabalho interdisciplinar com foco nas características biopsicofisiológicas dos anos/séries e também direcionam o “olhar” para os conteúdos propostos pelas disciplinas. 

Os eixos temáticos trabalham intensamente as especificidades do ato educativo de uma escola humanista pertencente aos quadros das escolas filiadas à UNESCO e estão presentes tanto nas disciplinas quanto nos projetos que são desenvolvidos no decorrer do ano letivo dentro de cada ano/série.

 

6º ano - Construção da identidade: o que sinto, o que penso, o que sou

Em função das intensas transformações cognitivas, físicas e afetivas marcantes neste ano/série, a escolha desse eixo temático amplia o autoconhecimento e a autoestima do estudante, com a finalidade de que ele se sinta seguro para expressar-se tanto individual como coletivamente, posicionando-se através de escolhas positivas de forma responsável.

7º ano - Respeito às diferenças 

A intenção de trabalhar o respeito às diferenças nessa série/ano é a de ampliar o trabalho iniciado no 6º ano e proporcionar aos estudantes experiências que valorizem a diversidade, normas de convivência, compaixão e compreensão para com as pessoas.

 

8º ano - Minhas transformações no mundo

A intenção é incentivar que os estudantes sejam ativos protagonistas em busca de um mundo melhor e mais pacífico por meio do entendimento mútuo e respeito intercultural.

Expectativas de Aprendizagens e Conteúdos escolares por ano/série

Depois e intensas discussões sobre o currículo necessário a crianças e jovens, atentos às proposições da Base Nacional Comum Curricular e às proposições do Currículo Paulista para o Ensino Fundamental, o Plano Diretor de 2021 anuncia os conteúdos das disciplinas que serão vivenciados e legitimados no currículo do Colégio Magister.  Importante ressaltar que esses conteúdos continuarão a ser revisitados ao longo de 2021, pois as sondagens realizadas durante o ano poderão anunciar novas necessidades de retomadas de aprendizagens essenciais de 2020, ainda não conquistadas pelos estudantes.

 

Tutoria: Projeto de vida

A disciplina Metodologia e Autonomia é ministrada pelo Professor Tutor com o objetivo de promover o autoconhecimento, fortalecer a autoestima, educar para o respeito mútuo (ser), para a solidariedade e justiça (fazer), para o diálogo (aprender), para a alteridade (conviver de forma ética), para o empreendedorismo (promoção de atitudes proativas e empreendedoras na vida como um todo) e administração de recursos através da educação financeira (orientações atitudinais, informação e formação para o consumo ético e consciente, e a percepção do dinheiro como um bem que demanda responsabilidade e maturidade em seu uso).

Nessa disciplina, os educadores priorizam atividades que transformem em ação e em atitude a ética investigativa, crítica, solidária e criativa. Suas diretrizes são pautadas em elementos fundamentais para a construção de um projeto de vida, de acordo com o que consta na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e no Currículo Paulista. 

 

A atuação coletiva do Professor Tutor é direcionada para:

  • Promover o autoconhecimento e a auto regulação.

  • Desenvolver competências para conviver em grupo.

  • Auxiliar na construção de projetos de vida através do autoconhecimento e do planejamento para atingir as metas que tem como expectativa.

  • Estimular o prazer em aprender.

  • Valorizar mais o “ser” do que o “ter”.

  • Fazer uso da tecnologia com cuidado e respeito.

  • Conscientizar-se sobre a responsabilidade das escolhas e diferenciar atitudes positivas de negativas.


 

As quatro frentes de atuação da tutoria (Organização e Ofício de estudante; Formação de valores; Cidadania Digital; Empreendedorismo e formação para uma vida adulta ativa), propõem temas que serão abordados de forma concomitante e que evoluem numa espiral crescente ao longo dos anos/séries.  

Os dados relevantes são discutidos colegiadamente, na busca de intervenções que mobilizem o melhor desempenho dos estudantes em busca da promoção da aprendizagem de todos.

Essa disciplina é um importante apoio para a aprendizagem, construção da identidade e formação integral dos estudantes apoiada em princípios éticos e que favoreçam ações preventivas no combate ao Bullying e ao Cyberbullying. 

Neste período de pandemia, a ação dos tutores , assim como em 2020,  atuará no apoio relacionado às questões sócio-emocionais dos estudantes  ao  proporem vivências de acolhimento e escuta solidária, de diálogo e reflexões na busca de minimizar os impactos que o distanciamento social pode provocar no desenvolvimento afetivo e social dos jovens.  A ação dos tutores possibilita que os jovens ampliem os recursos e provoca mudanças de perspectiva diante do panorama de crise, amplia novas formas de ver e vivenciar a realidade. Em relação às questões acadêmicas, os tutores investem também no amparo à organização do tempo identificando as prioridades,  na adaptação ao ensino remoto e híbrido  com a proposição de que o ensino aprendizagem de fato se efetive. 

 

Ao final de cada período, após a divulgação dos resultados, os tutores comprometidos com a aprendizagem de todos, atendem às famílias analisando o percurso realizado pelos jovens nesse período, cientes de que a parceria família e escola são determinantes para que as aprendizagens ganhem significação e valor.

Os estudantes com nota(s) abaixo da referência são orientados sobre como organizarem-se para o período de recuperação das diversas áreas do conhecimento. 

 

6º ano

Organização e ofício de estudante 

  • Organização das disciplinas nos cadernos de acordo com o horário das aulas.

  • Uso e manutenção  da agenda Google para registro e acompanhamento dos compromissos acadêmicos.

  • Estabelecer metas e objetivos de desempenho para cada período, demonstrando motivação e autonomia para dar conta do que precisa e deseja aprender.

  • Demonstrar comportamento autônomo e eficaz diante de suas obrigações acadêmicas, analisando suas atitudes, explorando novos caminhos para persistir e manter o foco, mostrando-se confiável no cumprimento de tarefas pessoais e escolares com qualidade, evitando distrações.

  • Identificar sua preferência sensorial.

  • Demonstrar domínio no uso das ferramentas  para agilizar o ensino remoto.

Valores Humanos

  • Posicionar-se contra atitudes discriminatórias, expressando ideias, opiniões, emoções e sentimentos com clareza.

  • Ser solidário com o próximo, exercitando o respeito mútuo e a interação genuína com o diferente.

  • Respeitar as diferenças e praticar ações de convivência pacífica, ouvindo outras pessoas com atenção, interesse e respeito por suas ideias e sentimentos.

  • Respeitar sua imagem e a imagem do próximo

  • Conhecer e participar de Assembleias Estudantis, identificando causas de conflitos e exercitando formas eficazes de resolvê-los em diversas situações interpessoais, escolares e sociais.

  • Refletir a respeito das emoções e sentimentos a fim de desenvolver a inteligência emocional.

Cidadania Digital

  • Reconhecer os perigos da superexposição nas redes sociais, exibindo comportamentos legais e éticos no uso das tecnologias e das redes sociais e discutindo as consequências do mau uso.

Empreendedorismo e formação para a vida adulta ativa

  • Conscientizar-se sobre a diferença entre preço e valor, utilizando estratégias de debate para explorar ideias durante o processo de construção do conhecimento, compartilhando informações com os outros.

  • Posicionar-se criticamente a partir de critérios científicos, estéticos e éticos diante do consumismo e desperdício.

 

7º ano

Organização e ofício do estudante

  • Organizar os materiais escolares e cadernos para registros dos conteúdos.

  • utilizar a agenda de forma organizada para a entrega das atividades escolares propostas;

  • apropriar-se de estratégias de aprendizagem para compreender, refletir e aplicar conceitos e informações;

  • analisar o desempenho acadêmico estabelecendo objetivos e metas para manter ou melhorar sua performance.

Formação de valores

Acolher as diferenças e respeitar o outro e suas particularidades:

  •  demonstrar atitudes de respeito, de tolerância e de diálogo;

  • contribuir positivamente com as dinâmicas em sala de aula e atuar de forma colaborativa de acordo com as proposições do professor;

  • diferenciar conflitos juvenis de manifestações agressivas repetitivas, que caracterizam o bullying;

  • buscar novas formas de reagir e agir perante situações de bullying;

  • reconhecer a importância e utilizar o conhecimento para a tomada de decisões individuais e coletivas;

  • conscientizar-se das transformações físicas e socioemocionais presentes na puberdade e aceitá-las como naturais no desenvolvimento humano.com conhecimento e equilíbrio; 

  • respeitar a diversidade de valores, crenças e comportamentos existentes e relativos à sexualidade, desde que seja garantida a dignidade do ser humano; 

  • identificar e expressar seus sentimentos e desejos com responsabilidade, respeitando os sentimentos e desejos do outro.

  Cidadania Digital

  • Conhecer os objetivos dos sites e aplicativos mais utilizados e apropriar-se das novas tecnologias, utilizando-as de forma eficiente e correta; 

  • reconhecer a permissão legal de uso do conteúdo digital para a faixa etária; 

  • ser consciente dos riscos de entrar em sites e aplicativos não permitidos para a idade; 

  • ponderar sobre os riscos de expor a vida privada nos meios digitais; 

  • fazer uso consciente e responsável das mídias digitais e aplicativos.

  • identificar e combater o bullying e cyberbullying;

  • diferenciar manifestações agressivas esporádicas de bullying e bullying de cyberbullying.

Empreendedorismo e formação para a vida

  • Refletir sobre o papel do dinheiro e seu valor social;

  • valorizar o dinheiro obtido de forma ética;

  • conhecer as quatro bases da educação financeira: ganhar, gastar, investir e doar;

  • reconhecer a importância do equilíbrio financeiro para um futuro mais organizado; 

  • desenvolver a cultura do planejamento, prevenção, investimento e consumo consciente; 

  • planejar o que quer e o que precisa, em um consumo consciente e menos compulsivo.

Prevenção da saúde

  • Conscientização sobre as causas e efeitos de doenças com potencial pandêmico;

  • adotar medidas de higiene básica para o convívio social;

  • empregar os meios de proteção contra doenças transmitidas pelo ar ou contato; 

  • compreender os mecanismos de ação das vacinas; 

  • situar o desenvolvimento científico e tecnológico como meios de avanço da saúde pública.

 

8º ano

Organização e ofício do estudante

  • Identificar e expressar as dificuldades relacionadas às disciplinas.

  • Estabelecer uma rotina diária de estudos. 

  • Ter autonomia em relação ao estudo e preparar-se com antecedência para as avaliações.

  • Organizar o calendário de execução das tarefas e trabalhos de acordo com os compromissos acadêmicos respeitando os prazos de entrega. 

  • Organizar os materiais e a distribuição das disciplinas nos cadernos de acordo com o horário das aulas.

  • Aprimorar a qualidade dos registros das aulas.

  • Elaborar e monitorar o "checklist" relacionado às tarefas do estudante.

  • Apropriar-se de estratégias de aprendizagem para compreender, memorizar e aplicar conceitos e informações.

  • Analisar seu desempenho acadêmico e estabelecer objetivos e metas para manter ou melhorar sua performance.

Formação de valores

  • Participar conscientemente do processo eleitoral para a escolha dos representantes de classe, conhecendo as características dessa função.

  • Contribuir positivamente com as dinâmicas em sala de aula e valorizar as regras de convivência, atuando de forma colaborativa de acordo com as proposições do professor para um ambiente saudável de trabalho .

  • Diferenciar liberdade de expressão de discursos de ódio, posicionando-se contrariamente a esse tipo de discurso e vislumbrando possibilidades de denúncia quando for o caso.

  • Acolher as diferenças e respeitar o outro e suas particularidades.

  • Reconhecer a coexistência como uma atitude ética e moral de respeito à vida e à dignidade humana

  • Analisar as consequências negativas para quem sofre a intimidação, para quem testemunha e para quem intimida.

  • Buscar coletivamente estratégias de como parar o bullying. 

Cidadania Digital

  • Reconhecer a importância das tecnologias e fazer bom uso delas.

  • Ser consciente de que os valores éticos precisam estar presentes no uso da Internet e das comunidades virtuais.

  • Diferenciar conflitos juvenis de manifestações agressivas repetitivas, que caracterizam o bullying e o cyberbullying. 

  • Conhecer os sites e aplicativos permitidos para a sua idade.

  • Ponderar sobre os riscos e responsabilidade de expor a vida privada nos meios digitais.

  • Diferenciar conflitos juvenis de manifestações agressivas repetitivas, que caracterizam o bullying.

  • Analisar as consequências negativas para quem sofre a intimidação, para quem testemunha e para quem intimida.

  • Buscar coletivamente estratégias de como parar o bullying. 

  • Aplicar os aprendizados sobre a tecnologia direcionando-os às práticas de estudos.

  • Respeitar os turnos de fala, na participação em conversações e em discussões ou atividades coletivas, na sala de aula e na escola e formular perguntas coerentes e adequadas em momentos oportunos em situações de aulas, apresentação oral, seminário etc.

  • Engajar-se e contribuir com a busca de conclusões comuns relativas a problemas, temas ou questões polêmicas de interesse da turma e/ou de relevância social.

  • Usar adequadamente ferramentas de apoio a apresentações orais, escolhendo e usando tipos e tamanhos de fontes que permitam boa visualização, topicalizando e/ou organizando o conteúdo em itens, inserindo de forma adequada imagens, gráficos, tabelas, formas e elementos gráficos, dimensionando a quantidade de texto (e imagem) por slide, usando progressivamente e de forma harmônica recursos mais sofisticados como efeitos de transição, slides mestres, layouts personalizados etc.

Empreendedorismo e formação para a vida adulta ativa

  • Reconhecer a importância do equilíbrio financeiro para um futuro mais organizado.

  • Fazer uso de planilhas para o controle das despesas e receitas familiares.

  • Planejar o que quer e o que precisa, de fato, tornando o consumo um ato consciente e menos compulsivo.

  • Posicionar-se de forma crítica diante do consumismo e desperdício.

  • Interessar-se sobre a origem do provimento da renda familiar (como e quanto se ganha e quanto se gasta para comprar e pagar os bens que consomem).

  • Posicionar-se de maneira comprometida com as etapas do planejamento para a criação da empresa “Barraca da Festa Junina”.

  • Vivenciar ativamente as funções exercidas por uma equipe de planejamento, marketing e propaganda, financeiro, logística e vendas de uma “empresa”.

  • Reconhecer as mudanças causadas pela puberdade e aceitá-las com resiliência e naturalidade.

  • Expor e ouvir de forma respeitosa os questionamentos relacionados  à sexualidade.

  • Perceber como estereótipos e interpretações subjetivas interferem na comunicação e percepções sobre outra pessoa.

Área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Língua Portuguesa 

O contexto globalizado, que caracteriza a pós-modernidade e a chamada Sociedade da Informação, além de impor novas demandas às pessoas e à sociedade como um todo, configura um ambiente em que as informações se multiplicam, as relações tornam-se complexas e rápidas e o papel da comunicação recebe cada vez maior destaque.

Nesse sentido, a concepção de língua como um fato social nascido da necessidade de comunicação, apontada por Bakhtin, é uma das bases teóricas do processo ensino-aprendizagem da língua materna, desenvolvido pelo Colégio Magister. Assim, a Língua pode ser compreendida como um sistema constituído de signos linguísticos, utilizada por falantes e ouvintes, leitores e escritores, para interagir com o outro por meio do que definimos como linguagem: a língua em funcionamento, o uso em relação ao sistema.

Acreditamos, então, no uso da língua materna como geradora de significação e integradora de organização do mundo e da própria identidade. Daí a importância também do conceito de letramento como apropriação das práticas sociais de leitura e escrita, que, para Kleiman, “significa partir de uma concepção social de escrita e leitura como práticas discursivas, com múltiplas funções inseparáveis dos contextos em que se desenvolvem.”

Defendemos ainda:

  • o desenvolvimento de um trabalho que se paute nas múltiplas ações que o estudante pode assumir ao utilizar o idioma: falar, interagir, ouvir o outro, ler, compreender, interpretar e escrever;

  • a concepção de múltiplos letramentos que levam em conta a variedade de gêneros escritos e orais presentes em diferentes esferas da atividade humana;

  • o estudo multissemiótico (linguagens não verbais e mistas) e digital (mídias digitais);

  • o valor de uma postura crítica e protagônica que contribua para a formação da autonomia e da ética por parte do aprendiz.

  • as variações linguísticas deixam de ser erros linguísticos excludentes geradores de preconceito social, pois representam um povo falante.

  • O reconhecimento da função da gramática e sua aplicabilidade nas produções e compreensão de textos.

      

Com estas considerações, o estudo da Língua Portuguesa tem como grande meta a fluência do estudante na língua materna (modalidade escrita e oral), tendo como objetivo principal a construção de textos consistentes em diferentes situações de uso. 

Busca também desenvolver no estudante a competência para construir e aplicar os conceitos linguísticos nas diferentes áreas do conhecimento, com o objetivo de compreender os fenômenos naturais, os processos histórico-geográficos, a produção tecnológica e as manifestações artísticas.

A partir desses pressupostos, o estudo da Língua Portuguesa propõe diversas práticas de linguagem. Tendo o texto como centralidade, serão definidos conceitos e habilidades leitoras, considerando o pertencimento desse gênero a um campo de atuação. Salienta-se que serão desenvolvidos procedimentos em que o estudante mobilize os conteúdos estudados para sua prática social efetiva. Sendo assim, cabe à área proporcionar aos estudantes experiências que ampliem suas competências leitora e escritora.
 

6º ano

​Prática de Leitura  

  • Relacionar os gêneros  conto, narrativa ficcional,  HQ, notícia, foto notícia relato de viagem, poema, biografia ao seu contexto de produção e suporte de circulação original, interpretando dados e informações de maneira precisa, considerando o contexto em que foram produzidos .Procedimentos leitores (habilidades) a partir de diversas metodologias, analisando e explicando como as evidências sustentam argumentos e afirmações.

  • Reconhecer as posições ideológicas nos textos a partir da observação de” pistas” deixadas pela autoria.

  • Respeitar as diferentes posições ideológicas independente da sua própria visão em relação aos  temas e conceitos vistos, ouvindo outras pessoas com atenção, interesse e respeito por suas ideias e sentimentos.

  • Reconhecer marcas do texto que o tornam pertencente a determinado campo de atuação: literário, de pesquisa, jornalístico/midiático e vida pública.

  • Reconhecer, por meio de observação e análise de imagens, os sentidos construídos pelas escolhas textuais.

  • Construir uma primeira noção de literatura como comunicação diferenciada, que recria a realidade por meio de universos ficcionais líricos, épicos ou dramáticos.

  • Ampliar o conhecimento sobre as possibilidades de uso da biblioteca escolar.

  • Avançar em discussões coletivas por meio da formulação de perguntas e respostas de caráter mais específico.

  • Inferir a presença de valores sociais, culturais e humanos e de diferentes visões de mundo, em textos literários, reconhecendo nesses textos formas de estabelecer múltiplos olhares sobre as identidades, sociedades e culturas e considerando a autoria e o contexto social e histórico de sua produção.

  • Distinguir, em segmentos descontínuos de textos, fato da opinião enunciada em relação a esse mesmo fato.​

 

Prática de produção de texto.

  • Planejar a produção de conto, narrativa ficcional,  HQ, notícia, foto notícia relato de viagem, poema, biografia posicionando-se criticamente a partir de critérios científicos, estéticos e éticos.

  • Produzir diferentes textos a partir de exemplos dados como referência, expressando ideias, opiniões, emoções e sentimentos com clareza, criatividade e originalidade. 

  • Empregar adequadamente recursos textuais dos gêneros de foco.

  • Utilizar, como estratégias de produção, a pesquisa do tema, o planejamento, a elaboração de primeiras versões, a revisão, a reescrita e a edição.**

  • Produzir, revisar e editar textos, empregando os conteúdos de análise linguística estudados

  • Entender e avaliar o que aprendeu.

  • Utilizar estratégias de planejamento, elaboração, revisão, edição, reescrita/redesign e avaliação de uma pequena obra.

Práticas de Análise Linguísticas-Semiótica.

  • Os conteúdos elencados a seguir serão trabalhados para ampliar a compreensão da leitura e interpretação de textos e qualificar a produção.

  • Reflexão sobre preconceitos e suas consequências.

  • Linguagem formal, informal.

  • Diferenças e semelhanças entre imagens.

  • Sentido de humor das histórias em quadrinhos.

  • Frases verbais e nominais.

  • Linguagem não verbal e verbal

  • Relação entre textos e os fatores de textualidade

  • Gêneros textuais e contexto de produção

  • Substantivo - classificação e flexão

  • Artigos definidos e indefinidos

  • Numerai

  • Adjetivos, locução adjetiva - classificação e flexão

  • Pronomes - identificação e classificação 

  • Pronomes demonstrativos na coesão de texto

  • Discurso direto e indireto

  • Verbo e locução verbal

  • Formas nominais e conjugação verbal dos modos indicativo e subjuntivo

  • Sentido do presente histórico em biografia

  • Verbos nos pretéritos perfeitos e imperfeitos em biografias e autobiografias

  • Uso do modo subjuntivo para reforçar a opinião e formular argumentos

  • Inferências pertinentes, com explicações de seu significado e, quando possível, identificação das limitações na argumentação de seus interlocutores com base em lacunas nas evidências

  • Análise do uso de elementos gramaticais na produção (escrita/oral), leitura de diferentes gêneros.

  •  Emprego dos elementos gramaticais (substantivos, artigos, pronomes, adjetivos e verbos nos modos Indicativo, Subjuntivo e adequando-os aos usos da língua (formal ou informal), em diferentes gêneros (escritos, orais e multimodais).

  • Advérbio - identificação e classificação

 

Prática de Oralidade

  • Avaliar a expressão oral própria ou alheia em interação, como ouvinte atento ou locutor cooperativo. 

  • Expressar ideias originais com clareza, mantendo discussões conectadas com as ideias de outras pessoas e buscando o entendimento mútuo.

  • Desenvolver gêneros da oralidade em situação de aprendizagem: exposições orais, apresentação de cartazes, seminários, contação de histórias, etc., aprimorando aspectos retóricos de comunicação verbal e oferecendo respostas adequadas.

  • Introduzir com clareza afirmações e sub-afirmações de forma ordenada e esclarecer a relação entre elas, auxiliando a compreensão do ouvinte.

  • Ouvir e aprender com os outros.

  • Compartilhar informações e experiências com pessoas do seu convívio pessoal e social, seminários, contação de histórias, etc., aprimorando aspectos retóricos de comunicação verbal e oferecendo respostas adequadas.

  • Introduzir com clareza afirmações e sub-afirmações de forma ordenada e esclarecer a relação entre elas, auxiliando a compreensão do ouvinte.

  • Ouvir e aprender com os outros.

  • Compartilhar informações e experiências com pessoas do seu convívio pessoal e social.

  • Ler em voz alta textos literários diversos, bem como leituras orais capituladas (compartilhadas ou não com o professor) contar/recontar histórias tanto da tradição oral, quanto da tradição literária escrita, expressando a compreensão e interpretação do texto por meio de uma leitura ou fala expressiva e fluente.

 

7º Ano

Práticas de Leitura

  • Relacionar os gêneros conto maravilhoso e de terror, carta de reclamação e de solicitação, texto dramático, crônica, carta do leitor e artigo de opinião, ao seu contexto de produção e suporte de circulação original, Interpretando dados e informações de maneira precisa. 

  •  Desenvolver procedimentos leitores (habilidades) a partir de diversas metodologias, analisando e explicando como as evidências sustentam argumentos e afirmações.

  •  Reconhecer as posições ideológicas nos textos a partir da observação de pistas deixadas pela autoria, considerando-as e procurando encontrar sua própria visão em relação aos temas e conceitos vistos.

  • Ouvir outras pessoas com atenção, interesse e respeito por suas  do ideias e sentimentos.

  • Reconhecer marcas do texto que o tornam pertencentes a determinado campo de atuação: literário, de pesquisa, jornalístico/midiático e vida pública. 

  • Compreender os recursos comuns  no conto maravilhoso e de terror, carta de reclamação e de solicitação, texto dramático, crônica, carta do leitor e artigo de opinião levando em conta cada gênero e seu contexto de produção.

  • Compreender a importância da coesão lexical e pronominal em textos.

  • Avançar em discussões coletivas por meio da formulação de perguntas e respostas de caráter mais específico.

  • Ampliar estratégias para reter os conhecimentos adquiridos.

  • Identificar, em texto dramático, personagem, ato, cena, fala, indicações cênicas, organização do texto (enredo, conflitos, ideias principais, pontos de vista, universos de referência) trabalho interdisciplinar com Linguagem Corporal e Cênica.

  • Tomar nota de aulas, apresentações orais, entrevistas (ao vivo, áudio, TV, vídeo).

  • Tomar nota em discussões, debates, palestras, apresentações de propostas, reuniões, como forma de documentar o evento e apoiar a própria fala.

 

Prática de produção de texto 

  • Planejar a produção de conto maravilhoso e de terror, carta de reclamação e de solicitação, texto dramático, crônica, carta do leitor e artigo de opinião levando em conta características estruturais e estilísticas dos gêneros, seu contexto de produção e posicionando-se criticamente a partir de critérios científicos, estéticos e éticos.

  • Produzir os diferentes textos a partir de exemplos dados como referência, demonstrando criatividade e originalidade e expressando ideias, opiniões, emoções e sentimentos com clareza,

  • Empregar adequadamente recursos textuais dos gêneros de foco.

  • Utilizar como estratégias de produção a pesquisa do tema, o planejamento, a elaboração de primeiras versões, a revisão, a reescrita e a edição.

  • Utilizar informações de forma cada vez mais ética.

  • Entender e avaliar o que aprendeu.

  • Criar poemas visuais e vídeo-poemas, explorando as relações entre imagem e texto verbal, a distribuição da mancha gráfica (poema visual) e outros recursos visuais e sonoros.

Práticas de análise linguística-Semiótica 

  • Os conteúdos elencados a seguir serão trabalhados para ampliar a compreensão da leitura e interpretação de textos e qualificar a produção. 

  • Diferentes sentidos de palavras e expressões para uma comunicação mais eficiente e rica

  • Retomada do conceito de substantivo, sua classificação e flexão

  • Determinantes e modificadores dos substantivos como elementos de coesão e coerência de textos

  • Preposição e locução prepositiva

  • Combinação e contração de preposições

  • Aplicação da preposição em contextos orais e escritos de uso

  • Diferenças de sentido implicadas na posição dos determinantes de substantivo nos contextos de uso

  • Revisão dos verbos, suas flexões e o emprego das formas nominais

  • A importância dos tempos verbais para a expressividade em vários gêneros

  • Diferentes sentidos do presente do modo indicativo

  • Advérbios e os tipos de circunstâncias que eles expressam

  • da opinião expressa por meio de advérbios

  • Estrutura dos verbos

  • Flexão dos verbos em cada uma das conjugações e modo subjuntivo

  • Verbos de elocução e sua importância para a expressão dos sentimentos

  • Modo imperativo e diferentes situações de uso

  • Grafia de alguns verbos irregulares

  • Sintaxe por meio das noções de frase, oração e período

  • Delimitação dos períodos em um texto

  • Frases nominais como recurso textual

  • Dimensão morfológica e sintática do estudo da língua

  • Sujeito e predicado e seus respectivos núcleos

  • Recursos de coesão textual

  • Reconhecimento de pronomes e sinônimos como recursos de coesão textual

  • Sujeito - classificação e identificação em orações de variados textos. 

  • Identificação dos marcadores temporais no poema narrativo. Expressividade da ortografia de acordo com a intencionalidade discursiva e com o gênero

  • Transitividade verbal

  • Predicação

  • Identificação dos predicados nominais como estruturas predominantes em textos descritivos e sem definições

  • Inferências pertinentes, com explicações de seu significado e, quando possível, identificação das limitações na argumentação de seus interlocutores com base em lacunas nas evidências.

  • Uso consciente e reflexivo da norma-padrão em situações de fala e escrita em textos de diferentes gêneros, levando em consideração o contexto, situação de produção e as características do gênero.

  • Identificação, entre partes do texto, das substituições pronominais, que contribuem para a continuidade do texto.

  • Expressividade da ortografia de acordo com a intencionalidade discursiva e com o gênero

  • Identificação dos predicados nominais como estruturas predominantes em textos descritivos e sem definições

Práticas de Oralidade 

  • Expressar ideias originais com clareza, mantendo discussões conectadas com as ideias de outras pessoas e buscando o entendimento mútuo.

  • Introduzir com clareza afirmações e sub-afirmações de forma ordenada e esclarecer a relação entre elas, auxiliando a compreensão do ouvinte.

  • Ouvir e aprender com os outros.

  • Compartilhar informações e experiências com pessoas avaliar a expressão oral própria ou alheia em interação, como ouvinte atento ou locutor cooperativo

  • Desenvolver gêneros da oralidade em situação de aprendizagem: exposições orais, apresentação de cartazes, seminários, do seu convívio pessoal e social.

  • Leitura em voz alta textos literários diversos, bem como leituras orais capituladas (compartilhadas ou não com o professor) contar/recontar histórias tanto da tradição oral, quanto da tradição literária escrita, expressando a compreensão e interpretação do texto por meio de uma leitura ou fala expressiva e fluente.​

 

8º Ano

Práticas de Leitura

  • Relacionar os gêneros conto de enigma; novela de ficção científica; diário íntimo; verbete de enciclopédia; texto dramático; poema visual; artigo de opinião; editorial; carta do leitor e debate interpretando dados e informações de maneira precisa, considerando o contexto em que foram produzidos.

  • Reconhecer os efeitos de sentido dos articuladores, da coesão referencial – lexical e pronominal para garantir progressão temática.

  •  Utilizar estratégias de leitura construídas ao longo dos anos iniciais do Fundamental II.         

  

Prática de produção de texto

  • Planejar a produção de Conto de enigma; Conto Fantástico; Novela de ficção científica; Entrevista; Diário Íntimo ; Cordel; Poema; Texto dramático;; Artigo de opinião; Editorial; Carta do leitor e debate, Blog.  assumindo riscos criativos para expressar sentimentos, ideias, histórias e experiências por meio de obras criativas mais complexas. Produzir os diferentes textos a partir de exemplos dados como referência, demonstrando também criatividade e originalidade.

  • Empregar adequadamente recursos textuais dos gêneros de foco.

  • Utilizar como estratégias de produção: a pesquisa do tema, o planejamento, a elaboração de primeiras versões, a revisão, a reescrita e a edição.

  • Utilizar, ao produzir diferentes gêneros textuais, conhecimentos linguísticos e gramaticais.

  • Criar contos, narrativas de aventura e de ficção científica, entre outros, com temáticas próprias ao gênero, usando os conhecimentos sobre os constituintes estruturais e recursos expressivos típicos dos gêneros narrativos pretendidos, e, no caso de produção em grupo, ferramentas de escrita colaborativa 

  • Produzir artigos de opinião, tendo em vista o contexto de produção dado e a defesa de um ponto de vista.

  • Utilizar articuladores de coesão que marquem relações de oposição, exemplificação, ênfase.

  • Trabalhar a reescrita do texto como uma etapa de aprimoramento do      processo.

  • Usar adequadamente os articuladores, coesão referencial – lexical e pronominal.

  • Posicionar-se criticamente a partir de critérios científicos, estéticos e éticos.

  • Aprofundar a reflexão crítica sobre os conhecimentos a fim de se expressar e de participar do mundo.

  • Usar o discurso direto e indireto no texto jornalístico

  • Utilizar construções passivas e impessoais nos textos.

  • Expressar ideias, opiniões, emoções e sentimentos com clareza.

  • Aprimorar aspectos retóricos de comunicação verbal e oferecer respostas adequadas.

 

Práticas de Análise Linguística - Semiótica.

  • Os conteúdos elencados a seguir serão trabalhados para ampliar a compreensão da leitura e interpretação de textos e qualificar a produção. 

  • Revisão dos conceitos de transitividade verbal.

  • Identificar, em textos de diferentes gêneros, os termos constitutivos da oração (sujeito e seus modificadores, verbo e seus complementos e modificadores).

  • Identificação dos complementos verbais e sua importância para os sentidos dos enunciados.

  • Identificação dos tipos de predicação: verbal, nominal e verbo-nominal.

  • Diferenciar, em gêneros textuais, complementos diretos e indiretos de verbos transitivos. Adjunto adverbial

  • Reconhecer o impacto modificador do adjunto adverbial em contextos diversos.

  •  Adjunto adnominal

  •  Identificação do predicativo do objeto em orações.

  • Reconhecer a função dos predicativos do sujeito e do objeto a partir da leitura de textos.        

  • Complemento nominal nas orações.

  • Reconhecer os complementos nominais e suas funções em orações.

  • Voz passiva, ativa e reflexiva.

  • Identificar, em gêneros textuais, verbos na voz ativa, passiva, reflexiva.

  • Inferir, em gêneros textuais, os efeitos de sentido proporcionados pelo sujeito ativo, passivo e reflexivo.

  • Analisar as vozes verbais (ativa, passiva, reflexiva e recíproca) em orações

  • Identificar as características do gênero pesquisa de opinião

  • Período simples e período composto.

  • Conjunções coordenativas e subordinativas. 

  • Valor semântico das conjunções coordenativas na produção de períodos compostos coesos e coerentes.

  • Analisar, em textos, as funções e as diferenças de sentido decorrentes do uso das conjunções coordenativas

  • Identificar, em gêneros textuais, agrupamento de orações em períodos (formação de períodos compostos por coordenação e/ou subordinação).

  • Diferenciar, em gêneros textuais, orações coordenadas de orações subordinadas.

  • Analisar as relações de coordenação e subordinação em períodos compostos

  • Orações coordenadas assindéticas e orações coordenadas sindéticas.

  • Identificar as relações de sentido estabelecidas por conjunções coordenativas em períodos compostos por orações coordenadas sindéticas

  • Operadores argumentativos.

  • Pontuação

  • Reconhecer o emprego dos sinais de pontuação

  • Figuras de Linguagem: ironia, eufemismo, antítese, paradoxo, aliteração, assonância

  • Identificar as figuras de linguagem: ironia, eufemismo, antítese, paradoxo, aliteração e assonância

 

Práticas de Oralidade

  • Avaliar a expressão oral própria ou alheia em interação, como ouvinte atento ou locutor cooperativo.

  • Desenvolver gêneros da oralidade em situação de aprendizagem: exposições orais, apresentação de cartazes, seminários, contação de histórias, etc.

  • Fazer leitura dramatizada tendo como acompanhamento efeitos de sonoplastia.

  • Expressar ideias originais com clareza, mantendo discussões conectadas com as ideias de outras pessoas e buscando o entendimento mútuo.

  • Introduzir com clareza afirmações e sub-afirmações de forma ordenada e esclarecer a relação entre elas, auxiliando a compreensão do ouvinte.

  • Ouvir e aprender com os outros.

  • Compartilhar informações e experiências com pessoas do seu convívio pessoal e social.

  • Ampliar suas capacidades expressivas linguísticas.

  • Garantir uma ampliação de repertório.

  • Compreender que as linguagens são dinâmicas e que todos participam do processo de constante transformação. 

 

Arte

A educação em arte propicia um foco pedagógico centrado nos eixos: produção artística, apreciação estética, contextualização e compreensão das artes como construção cultural e social realizando o desenvolvimento do pensamento artístico e da percepção estética, que caracterizam um modo próprio de ordenar e dar sentido à experiência humana, promovendo o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética e de inter-relação na busca do conhecimento e no exercício da cidadania.

No transcorrer do Ensino Fundamental, serão apresentados aos educandos linguagens que articulam saberes referentes a produtos e fenômenos artísticos que envolvem as práticas de criar, ler, produzir, construir, exteriorizar e refletir sobre formas artísticas.  A sensibilidade, a intuição, o pensamento, as emoções e as subjetividades se manifestam como formas de expressão no processo de aprendizagem em Arte.

Tendo em vista uma educação crítica espera-se que o estudante desenvolva competências e sensibilidade para admirar as diferentes formas de expressão e valorizar os bens artísticos de distintos povos e culturas construídos ao longo da História e na contemporaneidade e sistematizar os conhecimentos e proposição de experiências mais diversificadas em relação a cada linguagem, considerando as culturas juvenis.

Desse modo, espera-se que o componente Arte contribua com o aprofundamento das aprendizagens nas diferentes linguagens – e no diálogo entre elas e com as outras áreas do conhecimento –, com vistas a possibilitar aos estudantes maior autonomia nas experiências e vivências artísticas. 

6º ano
  • ** Identificar cores primárias, secundárias e neutras – obter cores através de combinações.

  • ** Utilizar a escala monocromática (claro e escuro) e policromática nas produções; perceber a influência da cor em relação ao seu tom.

  •  Reconhecer e apreciar artistas e grupos de teatro brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas, investigando os modos de criação, produção, divulgação, circulação e organização da atuação profissional em teatro.•

  • Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e considerando a relação com o espectador.

  • ** Perceber como as cores, através da arte, podem dialogar com o cotidiano.

  • Analisar os elementos constitutivos das artes visuais (ponto, linha, forma, direção, cor, tom, escala, dimensão, espaço, movimento etc.) na apreciação de diferentes produções artísticas.

  •  **Desenvolver a coordenação motora fina através dos pontos; conhecer artistas que utilizam o pontilhismo como técnica na produção de suas obras.

  • •Investigar brincadeiras, jogos, danças coletivas e outras práticas de dança de diferentes matrizes estéticas e culturais como referência para a criação e a composição de danças autorais, individualmente e em grupo. 

  •  **Compreender a importância da margem, legenda e caligrafia na comunicação e utilizá-las de forma estética e conhecer a origem dos números e letras.

  • Experimentar e analisar diferentes formas de expressão artística (desenho, pintura, colagem, quadrinhos, dobradura, escultura, modelagem, instalação, vídeo, fotografia, performance etc.).

  • **Conhecer as técnicas utilizadas na produção Arte Rupestre na pré história.

  • Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

  • Analisar aspectos históricos, sociais e políticos da produção artística, problematizando as narrativas eurocêntricas e as diversas categorizações da arte (arte, artesanato, folclore, design etc.).

  •  Analisar e valorizar o patrimônio cultural, material e imaterial, de culturas diversas, em especial a brasileira, incluindo suas matrizes indígenas, africanas e europeias, de diferentes épocas, e favorecendo a construção de vocabulário e repertório relativos às diferentes linguagens artísticas.

  • Identificar e manipular diferentes tecnologias e recursos digitais para acessar, apreciar, produzir, registrar e compartilhar práticas e repertórios artísticos, de modo reflexivo, ético e responsável.

  • ** Evidenciar e compreender a estrutura e o conceito de composição da imagem bidimensional e tridimensional em uma obra de arte.

  • ** Conhecer e aplicar a técnica do mosaico e do vitral, relacionando suas características às suas origens.

  • Reconhecer e apreciar artistas e grupos de teatro brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas, investigando os modos de criação, produção, divulgação, circulação e organização da atuação profissional em teatro

 

7º ano
  • ** Conhecer e aplicar a técnica da gravura e, mais especificamente, sobre a xilogravura, reconhecendo o uso de suas características.

  • Experimentar e analisar diferentes formas de expressão artística (desenho, pintura, colagem, quadrinhos, dobradura, escultura, modelagem, instalação, vídeo, fotografia, performance etc.).

  • Pesquisar e analisar diferentes formas de expressão, representação e encenação da dança, reconhecendo e apreciando composições de dança de artistas e grupos brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas.

  • Analisar e valorizar o patrimônio cultural, material e imaterial, de culturas diversas, em especial a brasileira, incluindo suas matrizes indígenas, africanas e europeias, de diferentes épocas, e favorecendo a construção de vocabulário e repertório relativos às diferentes linguagens artísticas.

  • Reconhecer e apreciar o papel de músicos e grupos de música brasileiros e estrangeiros que contribuíram para o desenvolvimento de formas e gêneros musicais.

  • Analisar criticamente, por meio da apreciação musical, usos e funções da música em seus contextos de produção e circulação, relacionando as práticas musicais às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética

  • **Aplicar as técnicas de ampliação e redução nos desenhos como linguagem de expressão.

  • **Conhecer o conceito de sombreamento e aplicar a técnica de luz e sombra.

  • ** Conhecer e aplicar técnicas de utilização de letras e algarismos para a elaboração de cartazes, faixas, pôsteres.

  • Diferenciar as categorias de artista, artesão, produtor cultural, curador, designer, entre outras, estabelecendo relações entre os profissionais do sistema das artes visuais.

  • Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

  • Analisar e explorar, em projetos temáticos, as relações processuais entre diversas linguagens artísticas.

  • ** Evidenciar e compreender a estrutura e o conceito de composição da imagem bidimensional e tridimensional em uma obra de arte.

  • **Compreender e aplicar técnicas em função do cartaz

  • Explorar e analisar elementos constitutivos da música (altura, intensidade, timbre, melodia, ritmo etc.), por meio de recursos tecnológicos (games e plataformas digitais), jogos, canções e práticas diversas de composição/criação, execução e apreciação musicais.

  • Explorar e criar improvisações, composições, arranjos, jingles, trilhas sonoras, entre outros, utilizando vozes, sons corporais e/ou instrumentos acústicos ou eletrônicos, convencionais ou não convencionais, expressando ideias musicais de maneira individual, coletiva e colaborativa.

  • Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

 

8º ano
  • Analisar os elementos constitutivos das artes visuais (ponto, linha, forma, direção,cor, tom, escala, dimensão, espaço, movimento etc.) na apreciação de diferentes produções artísticas.

  • Desenvolver processos de criação em artes visuais, com base em temas ou interesses artísticos, de modo individual, coletivo e colaborativo, fazendo uso de materiais, instrumentos e recursos convencionais, alternativos e digitais.

  • Pesquisar e analisar diferentes formas de expressão, representação e encenação da dança, reconhecendo e apreciando composições de dança de artistas e grupos brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas.

  • Analisar aspectos históricos, sociais e políticos da produção artística, problematizando as narrativas eurocêntricas e as diversas categorizações da arte (arte, artesanato, folclore, design etc.).

  • Pesquisar, apreciar e analisar formas distintas das artes visuais tradicionais e contemporâneas, em obras de artistas brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas e em diferentes matrizes estéticas e culturais, de modo a ampliar a experiência com diferentes contextos e práticas artístico-visuais e cultivar a percepção, o imaginário, a capacidade de simbolizar e o repertório imagético.

  • Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e considerando a relação com o espectador.

  • **Construir e identificar a técnica do pop art através da leitura de imagens aplicando diferentes técnicas de pintura.

  • Pesquisar e analisar diferentes estilos visuais, contextualizando-os no tempo e no espaço.

  • Analisar situações nas quais as linguagens das artes visuais se integram às linguagens audiovisuais (cinema, animações, vídeos etc.), gráficas (capas de livros, ilustrações de textos diversos etc.), cenográficas, coreográficas, musicais etc.

  • Explorar e analisar fontes e materiais sonoros em práticas de composição/criação, execução e apreciação musical, reconhecendo timbres e características de instrumentos musicais diversos.

  • Explorar e criar improvisações, composições, arranjos, jingles, trilhas sonoras, entre outros, utilizando vozes, sons corporais e/ou instrumentos acústicos ou eletrônicos, convencionais ou não convencionais, expressando ideias musicais de maneira individual, coletiva e colaborativa.

  • Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

  • Analisar e explorar, em projetos temáticos, as relações processuais entre diversas linguagens artísticas.

  • Identificar e manipular diferentes tecnologias e recursos digitais para acessar, apreciar, produzir, registrar e compartilhar práticas e repertórios artísticos, de modo reflexivo, ético e responsável.

  • ** Evidenciar e compreender a estrutura e o conceito de composição da imagem bidimensional e tridimensional em uma obra de arte.

  • Analisar situações nas quais as linguagens das artes visuais se integram às linguagens audiovisuais (cinema, animações, vídeos etc.), gráficas (capas de livros, ilustrações de textos diversos etc.), cenográficas, coreográficas, musicais etc.

  • Reconhecer e apreciar artistas e grupos de teatro brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas, investigando os modos de criação, produção, divulgação, circulação e organização da atuação profissional em teatro.

  • Experimentar a gestualidade e as construções corporais e vocais de maneira imaginativa na improvisação teatral e no jogo cênico

  • Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

  • Analisar e explorar, em projetos temáticos, as relações processuais entre diversas linguagens artísticas.

  • ** Para além da base

Educação Física

Sendo a escola o espaço determinado socialmente para a socialização do patrimônio cultural acumulado, entende-se que a Educação Física escolar é a disciplina que deve tratar da cultura corporal, em sentido amplo, tendo por finalidade integrar o estudante nesse contexto, formando o cidadão que vai usufruir, produzir, reproduzir e também transformar essa cultura.

Alinhada com as proposições atuais da área e às demandas da sociedade do século XXI, a proposta pedagógica, rompe com a tradição que atribuía ao ensino da Educação Física uma característica exclusivamente prática. Embasada na perspectiva multicultural, a disciplina busca valorizar os diversos saberes e sensações estimuladas pelas práticas corporais e também propiciar a vivência ressignificada no ambiente escolar das diversas manifestações da cultura corporal como jogos, danças, lutas, esportes, práticas corporais de aventura e ginásticas. A atuação da disciplina, pressupõe também, promover discussões e reflexões acerca dos valores e significados presentes nessas unidades temáticas, estando, assim, alinhada com a concepção pedagógica do Colégio Magister.

 
6º Ano

Esportes de invasão: Handebol

  • Conhecer a história, regras básicas e fundamentos da modalidade esportiva handebol e sua evolução durante os anos.  

  • Experimentar e fruir esportes invasão (Handebol), valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo de modo responsável e atento aos cuidados necessários de segurança dos participantes.

  • Praticar esportes de invasão, oferecidos pela escola, usando habilidades técnico-táticas básicas com respeito às regras.

  • Planejar e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e táticos, tanto nos esportes de invasão (handebol) como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar de forma específica.

  • Propor e produzir alternativas para experimentação dos esportes não disponíveis e/ou acessíveis na comunidade e das demais práticas corporais tematizadas na escola.

  • Respeitar, nas atividades propostas, a integridade física e moral do outro.

  • Demonstrar nas situações de prática atitudes de lealdade, dignidade, solidariedade, cooperação e respeito à diversidade do grupo, visando solucionar conflitos por meio do diálogo. 

  • Elaborar formas de registro visando às vivências (desenho, escrita, fotografia, relato oral);

Esportes de invasão: Basquete

  • Conhecer a história, regras básicas e fundamentos da modalidade esportiva Basquete e sua evolução durante os anos.  

  • Experimentar e fruir esportes invasão (Basquete), valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo de modo responsável e atento aos cuidados necessários de segurança dos participantes.

  • Praticar esportes de invasão, oferecidos pela escola, usando habilidades técnico-táticas básicas com respeito às regras.

  • Planejar e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e táticos dos esportes de invasão como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar de forma específica.

  • Propor e produzir alternativas para experimentação dos esportes não disponíveis e/ou acessíveis na comunidade e das demais práticas corporais tematizadas na escola.

  • Respeitar, nas atividades propostas, a integridade física e moral do outro.

  • Demonstrar nas situações de prática atitudes de lealdade, dignidade, solidariedade, cooperação e respeito à diversidade do grupo, visando solucionar conflitos por meio do diálogo. 

  • Elaborar formas de registro visando às vivências (desenho, escrita, fotografia, relato oral)

 

Esportes de marca: Provas de corrida , arremesso e lançamento do atletismo

  • Vivenciar um ou mais esportes paralímpicos, respeitando as diferenças individuais e valorizando a importância dessa prática.

  • Conhecer a história, regras e fundamentos das modalidades esportivas Atletismo – provas de corrida, arremesso e lançamento, e sua evolução durante os anos. 

  • Experimentar e fruir esportes e marca, valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo de modo responsável e atento aos cuidados necessários de segurança dos participantes.

  • Planejar e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e táticos, tanto nos esportes de marca como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar de forma específica.

  • Propor e produzir alternativas para experimentação dos esportes não disponíveis e/ou acessíveis na comunidade e das demais práticas corporais tematizadas na escola.

  • Respeitar, nas atividades propostas, a integridade física e moral do outro.

  • Demonstrar nas situações de prática atitudes de lealdade, dignidade, solidariedade, cooperação e respeito à diversidade do grupo, visando solucionar conflitos por meio do diálogo.

 

Danças urbanas: Street Dance

  • Experimentar, fruir e recriar o street dance como um estilo de dança urbana, identificando seus elementos constitutivos (ritmo, espaço, gestos).

  • Planejar e utilizar estratégias para aprender elementos constitutivos do street dance.

  • Diferenciar as danças urbanas das demais manifestações da dança, valorizando e respeitando os sentidos e significados atribuídos a eles por diferentes grupos sociais.

  • Desenvolver a noção espaço/tempo vinculada ao estímulo musical e ao silêncio com relação a si mesmo e ao outro;

  • Compreender o processo expressivo partindo do código individual de cada um para o coletivo (mímicas individuais, representações de cenas do cotidiano em grupo, danças individuais, pequenos desenhos coreográficos em grupo); 

  • Apresentar predisposição a superar seus próprios limites nas vivências rítmicas e expressivas;

  • Organizar uma apresentação de street dance aplicando as aprendizagens desenvolvidas durante o percurso do tema estudado.

  • Discutir as experiências pessoais e coletivas em dança vivenciadas na escola e em outros contextos, problematizando estereótipos e preconceitos

  • Analisar e experimentar diferentes elementos (figurino, iluminação, cenário, trilha sonora etc.) e espaços (convencionais e não convencionais) para composição cênica e apresentação coreográfica.

  • Analisar aspectos históricos, sociais e políticos da produção artística, problematizando as narrativas eurocêntricas e as diversas categorizações da arte (arte, artesanato, folclore, design etc.).

Brincadeiras e Jogos: Jogo eletrônico e de tabuleiro (matrizes africanas)

  • Experimentar e fruir, na escola e fora dela, jogos eletrônicos diversos, identificando os sentidos e significados atribuídos a eles por diferentes grupos sociais e etários. (jogos eletrônicos).

  • Praticar um ou mais jogos de tabuleiro, utilizando as habilidades técnico- táticas básicas e respeitando as regras

  • Conhecer as formas de brincar e seus possíveis artefatos pertencentes às diferentes regiões brasileiras.

  • Descrever, por meio de múltiplas linguagens (corporal, oral, escrita, audiovisual), os Jogos eletrônicos e de tabuleiro, explicando suas características e a importância desse patrimônio histórico cultural na preservação das diferentes culturas.

  • Recriar, individual e coletivamente, e experimentar, na escola e fora dela, Jogos eletrônicos e de tabuleiro e demais práticas corporais tematizadas na escola, adequando-as aos espaços públicos disponíveis.

  • Manifestar respeito ao direito de expressão dos colegas em diversas situações didáticas;  

  • Organizar e executar formas de brincar que visem ao envolvimento coletivo.

Investigar brincadeiras, jogos, danças coletivas e outras práticas de dança de diferentes matrizes estéticas e culturais como referência para a criação e a composição de danças autorais, individualmente e em grupo.
 

Esportes técnico-combinatório: Ginástica Acrobática

  • Conhecer a história, regras e fundamentos das modalidades esportivas técnico-combinatórios (ginástica acrobática) e sua evolução durante os anos.

  •  Experimentar e fruir esportes técnico-combinatórios, valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo de modo responsável e atento aos cuidados necessários de segurança dos participantes.

  • experimentar e fruir exercícios físicos da ginástica de condicionamento físico que solicitem diferentes capacidades físicas 

  • Planejar e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e táticos tanto na ginástica acrobática como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar de forma específica.

  • Organizar uma apresentação de ginástica acrobática aplicando as aprendizagens desenvolvidas durante o percurso do tema estudado.

  • Construir, coletivamente, procedimentos e normas de convívio que viabilizem a participação de todos na prática de exercícios físicos. 

  • Respeitar, nas atividades propostas, a integridade física e moral do outro.

  • Demonstrar nas situações de prática atitudes de lealdade, dignidade, solidariedade, cooperação e respeito à diversidade do grupo, visando solucionar conflitos por meio do diálogo. 

  • identificar as capacidades físicas predominantemente mobilizadas na prática da ginástica, relacionando a melhoria do desempenho ao desenvolvimento das mesmas. (corpo, movimento e saúde).

  • identificar e diferenciar exercício físico de atividade física (corpo, movimento e saúde).

Práticas corporais de aventura urbana Parkour e Paintball

  • Experimentar e fruir diferentes práticas corporais de aventura urbanas, valorizando a própria segurança e integridade física, bem como as dos demais. 

  • Identificar os riscos durante a realização de práticas corporais de aventura urbanas e planejar estratégias para sua superação. 

  • Executar práticas corporais de aventura urbanas, respeitando o patrimônio público e utilizando alternativas para prática segura em diversos espaços.

  • Identificar a origem das práticas corporais de aventura e as possibilidades de recriá-las, reconhecendo as características (instrumentos, equipamentos de segurança, indumentária, organização) e seus tipos de práticas.

 

Lutas do Brasil - Indígena

  • Experimentar e fruir a luta indígena, valorizando a própria segurança e integridade física, bem como as dos demais.

  • Planejar e utilizar estratégias básicas das lutas indígenas respeitando o colega como oponente.

  • Identificar as características (códigos, rituais, elementos técnico-táticos, indumentária, materiais, instalações, instituições) das lutas indígenas.

  • Problematizar preconceitos e estereótipos de gênero, sociais e étnico-raciais relacionados ao universo das lutas e demais práticas corporais e estabelecer acordos objetivando a construção de interações referenciadas na solidariedade, na justiça, na equidade e no respeito.

  • Conhecer o histórico das lutas indígenas, seus movimentos, costumes e contexto social; 

  • Elaborar formas de registro (desenho, escrita, fotografia, relato oral) relacionadas às vivências das lutas indígenas. 

7º Ano

Esportes de precisão: modalidades olímpicas

Experimentar, fruir e Identificar os diferentes elementos que constituem os esportes de precisão, valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo. Praticar um ou mais esportes de precisão oferecidos pela escola, usando habilidades técnico-táticas básicas e respeitando regras. Planejar e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e táticos, tanto nos esportes de precisão e técnico combinatórios como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar. 

 

Esportes de invasão: Futebol

  • Conhecer a história, regras e fundamentos da modalidade esportiva Futebol e sua evolução durante os anos.

  • Experimentar diferentes papéis (jogador, árbitro e técnico) e fruir os esportes de invasão (Futebol) valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo.

  • Identificar os elementos técnicos ou técnico-táticos individuais, combinações táticas, sistemas de jogo e regras das modalidades esportivas praticadas, bem como diferenciar as modalidades esportivas com base nos critérios da lógica interna das categorias do esporte de invasão.

  • Praticar um ou mais esportes de invasão oferecidos pela escola, usando habilidades técnico-táticas básicas e respeitando as regras.

  • Identificar as transformações históricas do fenômeno esportivo e discutir alguns de seus problemas (doping, corrupção, violência etc.) e a forma como as mídias os apresentam.

  • Elaborar formas de registro visando às vivências (desenho, escrita, fotografia, relato oral);

  • analisar a disponibilidade de espaços na comunidade para a prática de esportes Paralímpicos e propor alternativas para sua prática.

 

Danças urbanas: Hip Hop

  • Experimentar e fruir o Hip Hop como um estilo de dança urbana, identificando seus elementos constitutivos (ritmo, espaço, gestos).

  • Planejar e utilizar estratégias para aprender elementos constitutivos do  Hip Hop.

  • Diferenciar as danças urbanas das demais manifestações da dança, valorizando e respeitando os sentidos e significados atribuídos a eles por diferentes grupos sociais.

  • Desenvolver a noção espaço/tempo vinculada ao estímulo musical e ao silêncio com relação a si mesmo e ao outro; 

  • Compreender o processo expressivo partindo do código individual de cada um para o coletivo (mímicas individuais, representações de cenas do cotidiano em grupo, danças individuais, pequenos desenhos coreográficos em grupo);

  • Ter percepção dos limites corporais na vivência dos movimentos rítmicos e expressivos; 

  • Apresentar predisposição a superar seus próprios limites nas vivências rítmicas e expressivas;

  • Experimentar e analisar os fatores de movimento (tempo, peso, fluência e espaço) como elementos que, combinados, geram as ações corporais e o movimento dançado.

  • Pesquisar e analisar diferentes formas de expressão, representação e encenação da dança, reconhecendo e apreciando composições de dança de artistas e grupos brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas.

 

Luta do Brasil: Capoeira

  • Experimentar e fruir a capoeira, valorizando a própria segurança e integridade física, bem como as dos demais.

  • Planejar e utilizar estratégias básicas das lutas , respeitando o colega como oponente.

  • Identificar as características (códigos, rituais, elementos técnico-táticos, indumentária, materiais, instalações, instituições) da capoeira.

  • Problematizar preconceitos e estereótipos de gênero, sociais e étnico-raciais relacionados ao universo das lutas e demais práticas corporais e estabelecer acordos objetivando a construção de interações referenciadas na solidariedade, na justiça, na equidade e no respeito.

  • Conhecer o histórico da capoeira, seus movimentos, costumes e contexto social; 

  • Elaborar formas de registro (desenho, escrita, fotografia, relato oral) relacionadas às vivências da Capoeira. 

 

Brincadeiras e jogos 

  • Identificar as transformações nas características dos jogos eletrônicos em função dos avanços das tecnologias. 

  • Praticar um ou mais jogos de tabuleiro, utilizando diversas habilidades  técnico-táticas. 

  • Identificar as exigências corporais mobilizadas na prática dos diferentes jogos eletrônicos relacionando as capacidades físicas. 

  • Relacionar e associar a prática de exercícios físicos à promoção da saúde, reconhecendo a importância da adoção de um estilo de vida saudável. 

  • Investigar brincadeiras, jogos, danças coletivas e outras práticas de dança de diferentes matrizes estéticas e culturais como referência para a criação e a composição de danças autorais, individualmente e em grupo.

 

Esportes de rede: Voleibol

  • Conhecer os sistemas e formações básicas de jogo, regras e sua evolução durante os anos.

  • Experimentar diferentes papéis (jogador, árbitro e técnico) e fruir o esporte de rede/parede (voleibol), valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo.

  • Identificar os elementos técnicos ou técnico-táticos individuais, combinações táticas, sistemas de jogo e regras das modalidades esportivas praticadas, bem como diferenciar as modalidades esportivas com base nos critérios da lógica interna das categorias de esporte: rede/parede.

  • Praticar um ou mais esportes de rede/parede oferecidos    pela escola, usando habilidades técnico-táticas básicas e respeitando as regras.

  • Identificar as transformações históricas do fenômeno esportivo e discutir alguns de seus problemas (doping, corrupção, violência etc.) e a forma como as mídias os apresentam.

  • Elaborar formas de registro visando às vivências (desenho, escrita, fotografia, relato oral);

  • Organizar e participar de campeonatos esportivos de modo a atender às necessidades da comunidade-alvo (classe, interclasse, inter-alunos, comunidade educativa).

  • analisar a disponibilidade de espaços na comunidade para a prática de esportes Paralímpicos e propor alternativas para sua prática.

 

Ginástica: de condicionamento-físico

Propor e Vivenciar exercícios físicos que solicitem diferentes capacidades físicas, identificando seus tipos (força, velocidade, resistência, flexibilidade, agilidade). Realizar coletivamente trabalhos de divulgação que viabilizem a participação de todos na prática de exercícios físicos. Propor alternativas para a prática de exercícios físicos dentro e fora do ambiente escolar. 

  • Construir, coletivamente, procedimentos e normas de convívio que viabilizem a participação de todos na prática de exercícios físicos, com o objetivo de promover a saúde.

  • Diferenciar exercício físico de atividade física e propor alternativas para a prática de exercícios físicos dentro e fora do ambiente escolar.

  • Reconhecer os princípios ginásticos envolvidos nas diversas modalidades: fluidez, harmonia, organização, contração, descontração, equilíbrio e tônus muscular, mediante atividades práticas; 

  • Participar de breves sessões práticas das modalidades ginásticas, adaptando suas características ao grupo com apoio do professor; 

  • Organizar e executar experiências ginásticas de modo responsável e atento aos cuidados necessários de segurança dos participantes; 

Práticas corporais de aventura urbana: modalidades com rodas

  • Experimentar e fruir diferentes práticas corporais de aventura urbanas, valorizando a própria segurança e integridade física, bem como as dos demais. 

  • Identificar os riscos durante a realização de práticas corporais de aventura urbanas e planejar estratégias para sua superação. 

  • Executar práticas corporais de aventura urbanas, respeitando o patrimônio público e utilizando alternativas para prática segura em diversos espaços.

  • Identificar a origem das práticas corporais de aventura e as possibilidades de recriá-las, reconhecendo as características (instrumentos, equipamentos de segurança, indumentária, organização) e seus tipos de práticas.


 

8º ano

Esportes de rede/parede: Tênis e de Campo e taco: modalidades olímpicas

Experimentar diferentes papéis (jogador, árbitro e técnico) e fruir os esportes de rede/parede, campo e taco, valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo. 

Formular e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e táticos, tanto nos esportes de campo e taco, rede/parede, como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar. 

Identificar os elementos técnicos ou técnico-táticos individuais, combinações táticas, sistemas de jogo e regras das modalidades esportivas praticadas, bem como diferenciar as modalidades esportivas com base nos critérios da lógica interna das categorias de esporte: rede/parede, campo e taco. 

Esportes de invasão: Handebol

  • Organizar e participar de campeonatos esportivos de modo a atender às necessidades da comunidade-alvo (classe, interclasse, inter-alunos, comunidade educativa)

  • Experimentar diferentes papéis (jogador, árbitro e técnico) e fruir o esporte de invasão valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo.

  • Formular e utilizar estratégias para solucionar os desafios técnicos e táticos, tanto nos esporte invasão como nas modalidades esportivas escolhidas para praticar de forma específica.

  • Identificar os elementos técnicos ou técnico-táticos individuais, combinações táticas, sistemas de jogo e regras das modalidades esportivas praticada

  • Identificar os aspectos sociais que interferem na prática esportiva; 

  • Compreender a transformação e a manutenção do esporte enquanto prática hegemônica da cultura corporal, relacionando-a com as situações vivenciadas;

 

Ginástica - Ginástica de consciência corporal: Pilates  e yoga

  • Experimentar e fruir um ou mais tipos de ginástica de conscientização corporal, identificando as exigências corporais dos mesmos.

  • Reconhecer os princípios ginásticos envolvidos nas diversas modalidades: fluidez, harmonia, organização, contração, descontração, equilíbrio e tônus muscular e como podem contribuir para a melhoria das condições de vida, saúde, bem-estar e cuidado consigo mesmo.

  • Participar de breves sessões práticas das modalidades ginásticas, adaptando suas características ao grupo com apoio do professor; 

  • Respeitar nas atividades propostas, a integridade física e moral do outro; 

  • Problematizar o risco da prática excessiva de exercícios físicos e do uso de medicamentos para a ampliação do rendimento ou potencialização das transformações corporais. 

 

Práticas Corporais de Aventura

  • Experimentar e fruir diferentes práticas corporais de aventura na natureza, valorizando a própria segurança e integridade física, bem como as dos demais, respeitando o patrimônio natural e minimizando os impactos de degradação ambiental.

  • Identificar riscos, formular estratégias e observar normas de segurança para superar os desafios na realização de práticas corporais de aventura na natureza

  • Identificar as características (equipamentos de segurança, instrumentos, indumentária, organização) das práticas corporais de aventura na natureza, bem como suas transformações históricas.

  • Compreender as variações dos esportes de aventura por parte dos diversos grupos culturais como forma de expressão da identidade cultural dos praticantes, reconhecendo-as no âmbito das aulas; 

  • Investigar a história de  algumas modalidades dos  esportes de aventura, relacionando-a com seu contexto histórico.

 

Lutas do mundo

  • Experimentar e fruir a execução dos movimentos pertencentes às lutas do mundo, adotando procedimentos de segurança e respeitando o oponente. 

  • Planejar e utilizar estratégias básicas das lutas experimentadas, reconhecendo as suas características técnico- táticas. 

Danças de Salão

  • Experimentar e fruir danças de salão, valorizando a diversidade cultural e respeitando a tradição dessas culturas. 

  • Planejar e utilizar estratégias para se apropriar dos elementos constitutivos (ritmo, espaço, gestos) das danças de salão. 

  • Discutir estereótipos e preconceitos relativos às danças de salão e demais práticas corporais e propor alternativas para sua superação.

  • Analisar as características (ritmos, gestos, coreografias e músicas) das danças de salão, bem como suas transformações históricas e os grupos de origem.

  • Ter percepção dos limites corporais na vivência dos movimentos rítmicos e expressivos; 

  • Analisar situações nas quais as linguagens das artes visuais se integram às linguagens audiovisuais (cinema, animações, vídeos etc.), gráficas (capas de livros, ilustrações de textos diversos etc.), cenográficas, coreográficas, musicais etc.

  • Identificar e manipular diferentes tecnologias e recursos digitais para acessar, apreciar, produzir, registrar e compartilhar práticas e repertórios artísticos, de modo reflexivo, ético e responsável.

  • Analisar e explorar, em projetos temáticos, as relações processuais entre diversas linguagens artí

Inglês 

Em um mundo cada vez mais globalizado, em que a velocidade da comunicação nunca foi tão rápida em virtude das altas tecnologias disponíveis, o domínio de uma língua estrangeira, principalmente o inglês, torna-se necessário para ampliar a visão de mundo e a possibilidade de comunicação com outras culturas. 

A língua inglesa nesse segmento terá como pano de fundo temas transversais como a Pluralidade cultural, Meio ambiente, Saúde, Ética, Trabalho e Consumo consciente, assim como uma abordagem interdisciplinar para desenvolver uma comunicação básica permitindo uma apropriação da língua mais significativa e atual.

A abordagem espera que o estudante utilize o idioma para conhecer a realidade de outras manifestações culturais e atue como protagonista de seu aprendizado.

Este ano, levando em consideração os diferentes níveis de desenvolvimento e proficiência na língua inglesa e desejando maior aprimoramento das habilidades de leitura, escrita, compreensão e oralidade, estenderemos para os estudantes dos 76º anos do Currículo Regular serão alocados em dois diferentes  a organização das turmas por níveis (Level 1 e Level 2), após uma avaliação escrita e oral no idioma. O objetivo desta ação é oferecer maior adequação das aulas às necessidades dos estudantes. Nesse sentido, o Level 1 terá como expectativa de aprendizagem o que é esperado para o currículo de 6º ano  do ano série em que estão e no Level 2 ficarão os estudantes que já possuem conhecimentos de conteúdos e/ou habilidades esperadas para o final de 6º ano  daquele ano e que podem ser estimulados ao desenvolvimento de mais outras habilidades, considerando o currículo proposto para o ano/série.

 

6º ano

EIXO ORALIDADE – Práticas intensas  de compreensão e produção oral de língua inglesa, considerando aspectos como negociação de sentidos e construção de significados em conjunto com outros interlocutores em diferentes gêneros orais, por meio de estratégias específicas, como a paráfrase e o uso de fillers (recursos que podem ser empregados, ao falar, para evitar, por exemplo, pausas muito longas, frequentes ou silenciosas), e introdução ao uso de language chunks para melhor expressão e oral e comunicação escrita (tais como: in my opinion, as far as I know, first of all, etc). 

Level 2: extrapolação do conteúdo através de maior exigência nas produções orais, escritas e leitura, e diferenciação na aplicação de conteúdos e avaliações.

  • Reconhecer a influência que seus pontos fortes e fragilidades têm sobre suas realizações, identificando habilidades que precisa desenvolver enquanto aplica os conhecimentos da língua inglesa para falar de si e de outras pessoas, explicitando informações pessoais e características relacionadas a gostos, preferências, aspectos físicos** e rotinas. Elaborar frases sobre a rotina de gastos e receitas de cada um, usando o Present Simple nas formas afirmativa e negativa, reconhecendo pronomes pessoais, com função de sujeito e objeto e utilizando-os adequadamente

  • Comunicar-se por meio de linguagens verbais, textuais, corporais e artísticas, utilizando imagens e plataformas diversas (vídeos, quadrinhos, blogs), a fim de planejar apresentações sobre a família, a comunidade e a escola, compartilhando-a oralmente com o grupo, fazendo uso do verbo to be e de outros verbos no present simple.

  • Explicar as formas como grupos e identidades culturais mudam com o passar do tempo e em diferentes contextos, a fim de elencar aspectos físicos e culturais para definir indivíduos e famílias, bem como suas relações sociais e de parentesco, elaborando perguntas e respostas acerca da origem da família, adquirindo assim, vocabulário relacionado a membros da família e parentesco. 

  • Avançar em discussões coletivas por meio da formulação de perguntas e respostas de caráter mais específico para reconhecer, com o apoio de palavras cognatas e pistas do contexto discursivo, o assunto e as informações principais em textos orais sobre temas familiares e interagir em situações de intercâmbio oral, demonstrando iniciativa para utilizar a língua inglesa. Utilizar expressões ao conhecer novos amigos, usar vocabulário relacionado à aparência física, roupas e acessórios.

  • Expressar ideias originais com clareza, mantendo discussões conectadas com as ideias de outras pessoas e buscando o entendimento mútuo, com o objetivo de debater acerca de amizades e do que é necessário para ser um bom amigo e também debater as questões relacionadas à origem das pessoas. 

  •  Aprimorar aspectos retóricos de comunicação verbal e oferecer respostas adequadas em situações como responder sobre o que as pessoas estão fazendo. Utilizar pronomes objetos para se referir a si e a terceiros.

  • Empregar, de forma inteligível, os adjetivos possessivos.

  • Compartilhar informações e experiências com pessoas do seu convívio pessoal e social, falando sobre ações rotineiras, formas de obter dinheiro e de como gastá-lo,  a necessidade de ter hora marcada para determinados eventos e tarefas a cumprir, informar as horas e descrever ações que estão acontecendo no momento. Expressar as horas, períodos, dias da semana e rotina. Utilizar os pronomes demonstrativos plurais these e those.

  • Debater e defender seus pontos de vista com firmeza e respeito, mesmo se forem divergentes de outras pessoas ou grupos, fazendo uso de frases interrogativas empregando Wh-questions

 

 

EIXO LEITURA – Práticas de leitura de textos diversos (informativo, narrativo, descritivo, persuasivo e transacional) em língua inglesa (verbais, verbo-visuais, multimodais) que trabalha com gêneros verbais e híbridos pertinentes aos tópicos estudados . Tais práticas envolvem articulação com os conhecimentos prévios dos alunos em língua materna e/ou outras línguas. Utilizar o presente contínuo para descrever ações em progresso.

  • Avaliar argumentos, fontes de evidências, bem como a precisão e relevância das informações coletadas, identificando lacunas de raciocínio relacionadas à investigação para identificar o assunto de um texto, reconhecendo sua organização textual e palavras cognatas e localizar informações específicas no mesmo. Utilização dos pronomes demonstrativos singulares this e that

  • Utilizar recursos tecnológicos para desenhar, desenvolver, publicar e apresentar produtos (por exemplo, páginas da web, aplicativos móveis, animações), para demonstrar conhecimentos e resolver problemas e construir repertório lexical na língua inglesa, empregando o verbo there to be

  • Formular uma hipótese clara e testável sobre a finalidade de um texto em língua inglesa, com base em sua estrutura, organização textual e pistas gráficas.

  • Expressar ideias, opiniões, emoções e sentimentos com clareza demonstrando interessar-se pelo texto lido, compartilhando suas ideias sobre o que o texto informa/comunica.

 

EIXO ESCRITA – Práticas de produção de textos em língua inglesa relacionados ao cotidiano dos alunos, presentes em diferentes suportes e esferas de circulação. Tais práticas envolvem a escrita mediada pelo professor ou colegas e articulada com os conhecimentos prévios dos alunos em língua materna e/ou outras línguas. Nesse eixo, a concepção de escrita é vista como um processo, o qual envolve produções individuais e/ ou coletivas que consideram as seguintes etapas: levantamento do conhecimento prévio sobre o assunto sobre o qual se escreve;o planejamento do texto de modo a considerar seu objetivo;a produção do texto considerando os pontos levantados e discutidos nas etapas anteriores; a partilha do texto produzido colaborativo; a revisão e a edição do texto produzido e finalmente a escrita final do texto.

  • Acessar diferentes fontes de informação a fim de  organizar ideias, selecioná-las em função da estrutura e do objetivo do texto e para listar ideias para a produção de textos, levando em conta o tema e o assunto.

  •  Realizar descrição precisa de variáveis para listar nomes de esportes, movimentos e partes do corpo, identificar nominalmente prédios e construções presentes em um bairro e identificar partes da casa e peças de mobiliário.**Reconhecer o uso do imperativo em enunciados de atividades, comandos e instruções.

  • Utilizar uma variedade de ferramentas multimídia e periféricos para auxiliar na produtividade pessoal e na aprendizagem ao longo de todo o currículo, produzir textos escritos em língua inglesa (histórias em quadrinhos, cartazes, chats, blogues, agendas, fotolegendas, entre outros), sobre si mesmo, sua família, seus amigos, gostos, preferências e rotinas, sua comunidade e seu contexto escolar. 

 

EIXO DIMENSÃO INTERCULTURAL – Reflexão sobre aspectos relativos à interação entre culturas (dos alunos e aquelas relacionadas a demais falantes de língua inglesa), de modo a favorecer o convívio, o respeito, a superação de conflitos e a valorização da diversidade entre os povos.

  • Demonstrar curiosidade e uma mente aberta para diferentes culturas e visões de mundo ao analisar diferentes tipos de moradia, compreendendo o conceito de vizinhança e debater sobre suas características e necessidades, percebendo problemas na vizinhança e propondo soluções conjuntas. **

  • Buscar apoios para o seu crescimento pessoal, escolar e social, descobrindo a importância de administrar o tempo para a obtenção de uma vida mais organizada e produtiva; perceber a necessidade de gerenciamento do próprio dinheiro e a importância de economizar; reconhecer os benefícios do esporte para a saúde física, mental e emocional.

  • Cuidar da sua saúde física, bem-estar relacionando práticas esportivas a outros aspectos da vida que proporcionam crescimento pessoal e desenvolvimento social.

  • Manter atenção diante de estímulos que distraem ou comprometem por sua atenção, aprendendo a importância de planejar e cumprir o planejado, identificando o que pode ser comprado com dinheiro e avaliando receitas e despesas.

  • Demonstrar consciência sobre sua própria identidade e cultura para avaliar, problematizando elementos/produtos culturais de países de língua inglesa absorvidos pela sociedade brasileira/comunidade.

  • Vivenciar e compreender a importância de manter, celebrar, respeitar e valorizar tradições e manifestações culturais para o desenvolvimento da identidade pessoal, nacional e dos grupos, demonstrando flexibilidade para transitar por diferentes culturas, investigando o alcance da língua inglesa no mundo: como língua materna e/ou oficial (primeira ou segunda língua) e identificando a presença da língua inglesa na sociedade brasileira/comunidade (palavras, expressões, suportes e esferas de circulação e consumo) e seu significado.

 

 

7º ano

EIXO ORALIDADE – Práticas intensas de compreensão e produção oral de língua inglesa, em diferentes contextos discursivos presenciais ou simulados, com repertório de falas diversas, incluída a fala do professor. Visams as atividades de produção oral em três etapas: pré- produção oral, com atividades de planejamento e organização de ideias;produção oral, com atividades de uso, propriamente, da língua inglesa ; pós-produção oral, com atividades da produção oral desenvolvida, visando resultados em produções futuras mais satisfatória, em um ambiente de respeito e de acolhimento.

Level 2: extrapolação do conteúdo através de maior exigência nas produções orais, escritas e leitura, e diferenciação na aplicação de conteúdos e avaliações.

  • Identificar causas e conflitos e identificar formas eficazes de resolver desentendimentos e conflitos interpessoais, sociais e escolares através da Interação em situações de intercâmbio oral para realizar as atividades em sala de aula, de forma respeitosa e colaborativa, trocando ideias e engajando-se em brincadeiras e jogos e utilizando o Presente simples e advérbios de frequência para falar de hábitos e rotinas.

  • Ouvir e aprender com os outros ao entrevistar os colegas para conhecer suas histórias de vida.

  • Combinar ideias que já existem com novas possibilidades para criar formas novas de atingir objetivos mobilizando conhecimentos prévios para compreender texto oral.

  • Interpretar dados e informações de maneira precisa considerando diferentes conceitos e estratégias analíticas  para a partir disso,

  •  Identificar o contexto, a finalidade, o assunto e os interlocutores em textos orais presentes no cinema, na internet, na televisão, entre outros.

  • Posicionar-se criticamente a partir de critérios científicos, estéticos e éticos para compor, em língua inglesa, narrativas orais sobre fatos, acontecimentos e personalidades marcantes do passado.

  • Fazer previsões sobre as tecnologias do futuro usando will e planos para o futuro utilizando going to,

  • Empregar corretamente os verbos no  Imperativo para expressar ordens, comandos ou dar direções.

 

EIXO LEITURA – Práticas de leitura de textos diversos em língua inglesa (verbais, verbo-visuais, multimodais) presentes em diferentes suportes e esferas de circulação. Tais práticas envolvem articulação com os conhecimentos prévios dos alunos em língua materna e/ou outras línguas. São priorizados textos autênticos e de circulação social fazendo com que os estudantes possam encontrar no seu cotidiano textos em língua inglesa.

  • Fazer conexões claras e adequadas entre ideias amplas a partir de diferentes caminhos para ser capaz de antecipar o sentido global de textos em língua inglesa por inferências, com base em leitura rápida, observando títulos, primeiras e últimas frases de parágrafos e palavras-chave repetidas, identificar a(s) informação(ões)-chave de partes de um texto em língua inglesa (parágrafos) e relacionar as partes de um texto (parágrafos) para construir seu sentido global.

  • Ampliar estratégias para reter os conhecimentos adquiridos ao selecionar, em um texto, a informação desejada como objetivo de leitura.

  • Utilizar uma variedade de ferramentas multimídia e periféricos para auxiliar na produtividade pessoal e na  aprendizagem ao longo de todo currículo, ao escolher, em ambientes virtuais, textos em língua inglesa, de fontes confiáveis, para estudos/pesquisas escolares.

  • Exercitar o respeito mútuo e a interação genuína com o diferente, participando de troca de opiniões e informações sobre textos, lidos na sala de aula ou em outros ambientes.

  • Fazer uso de substantivos contáveis e incontáveis e também empregar o uso correto de how much e how many em perguntas.

EIXO ESCRITA – Práticas de produção de textos em língua inglesa relacionados ao cotidiano dos alunos, presentes em diferentes suportes e esferas de circulação. Tais práticas envolvem a escrita mediada pelo professor ou colegas e articulada com os conhecimentos prévios dos alunos em língua materna e/ou outras línguas.

  • Selecionar os elementos mais importantes de um novo conhecimento, articular com conhecimentos prévios, encontrar os significados e as conexões entre as diferentes partes de uma informação, integrar diversas técnicas e métodos necessários para organizar o conhecimento para planejar a escrita de textos em função do contexto (público, finalidade, layout e suporte), organizar texto em unidades de sentido, dividindo-o em parágrafos ou tópicos e subtópicos, explorando as possibilidades de organização gráfica, de suporte e de formato do texto e para produzir textos diversos sobre fatos, acontecimentos e personalidades do passado (linha do tempo/timelines, biografias, verbetes de enciclopédias, blogues, entre outros) 

 

EIXO DIMENSÃO INTERCULTURAL – Reflexão sobre aspectos relativos à interação entre culturas (dos alunos e aquelas relacionadas a demais falantes de língua inglesa), de modo a favorecer o convívio, o respeito, a superação de conflitos e a valorização da diversidade entre os povos. O conhecimento sob essa perspectiva implica considerar as relações entre contexto cultural e desenvolvimento humano, as relações entre desenvolvimento cognitivo e interações sociais e o desenvolvimento histórico, que parte do social para o indivíduo, dando destaque para o meio social. 

  • Explicar as formas como grupos e identidades culturais mudam com o passar do tempo e em diferentes contextos, analisando o alcance da língua inglesa e os seus contextos de uso no mundo globalizado.

  • Demonstrar curiosidade e uma mente aberta para diferentes culturas e visões de mundo, explorando modos de falar em língua inglesa, refutando preconceitos e reconhecendo a variação linguística como fenômeno natural das línguas.

  • Explorar novas formas de reconciliar valores e perspectivas culturais diferentes ao abordar desafios em comum ao reconhecer a variação linguística como manifestação de formas de pensar e expressar o mundo.

8º ano

EIXO ORALIDADE – Práticas intensas de compreensão e produção oral de língua inglesa, em diferentes contextos discursivos presenciais ou simulados, com repertório de falas diversas, incluída a fala do professor. Produzir enunciados orais, considerando os elementos da situação discursiva (interlocutores, objetivo comunicativo, especificidades do gênero, canais de transmissão).

  • Ouvir outras pessoas com atenção, interesse e respeito por suas ideias e sentimentos fazendo uso da língua inglesa para resolver mal-entendidos, emitir opiniões e esclarecer informações por meio de paráfrases ou justificativas.Utilizar, de modo inteligível, as formas comparativas e superlativas de adjetivos para comparar qualidades e quantidades. 

  • Compartilhar informações e experiências vividas com pessoas do seu convívio pessoal e social explorando o uso de recursos linguísticos (frases incompletas, hesitações, entre outros) e paralinguísticos (gestos, expressões faciais, entre outros) em situações de interação oral, para expressar ou aceitar desculpas, concordar ou discordar de opiniões, empregando o Past Simple e o Past Continuous (em suas formas afirmativa, negativa e interrogativa).

  • Debater e defender seus pontos de vista com firmeza e respeito, mesmo se for divergente dos de outras pessoas ou grupos a fim de  discutir assuntos relacionados a grupos: conflitos, possibilidades e expectativas de vida, consumismo, redes sociais, amizades e passatempos. Construir repertório lexical relativo a planos, previsões e expectativas para o futuro.

  • Avançar em discussões coletivas por meio da formulação de perguntas e respostas de caráter mais específico construindo o sentido global de textos orais, relacionando suas partes, o assunto principal e informações relevantes.

  • Aprimorar aspectos retóricos de comunicação verbal e oferecer respostas adequadas utilizando recursos e repertório linguísticos apropriados para informar/comunicar/falar do futuro: planos, previsões, possibilidades e probabilidades. 

  •   Empregar, de modo inteligível, os pronomes relativos (who, which, that, whose) para construir períodos compostos por subordinação. 

 

EIXO LEITURA – Práticas de leitura de textos diversos em língua inglesa (verbais, verbo-visuais, multimodais) presentes em diferentes suportes e esferas de circulação. Tais práticas envolvem articulação com os conhecimentos prévios dos alunos em língua materna e/ou outras línguas.

  • Compreender o contexto sociocultural em que as opiniões são formuladas, percebendo como as ações estão relacionadas às suas consequências, utilizando os verbos modais can e could and should.

  • Demonstrar curiosidade e uma mente aberta para diferentes culturas e visões de mundo a fim de apreciar textos narrativos em língua inglesa (contos, romances, entre outros, em versão original ou simplificada), como forma de valorizar o patrimônio cultural produzido em língua inglesa.

  • Utiliza recursos tecnológicos para desenhar, desenvolver, publicar e apresentar produtos (por exemplo, páginas da web, aplicativos móveis, animações), para demonstrar conhecimentos e resolver problemas, além de explorar ambientes virtuais e/ou aplicativos para acessar e usufruir do patrimônio artístico literário em língua inglesa.

  • Posiciona-se criticamente a partir de critérios científicos, refletindo acerca de causa e efeito entre as ações do passado, presente e futuro.

  • Interpretar dados e informações de maneira precisa, considerando o contexto em que foram produzidos, analisando, criticamente, o conteúdo de textos, comparando diferentes perspectivas apresentadas sobre um mesmo assunto.

  • Reconhecer sufixos e prefixos comuns utilizados na formação de palavras em língua inglesa.

  • Utilizar must e mustn'te também o second conditional.

 

EIXO ESCRITA – Práticas de produção de textos em língua inglesa relacionados ao cotidiano dos alunos, presentes em diferentes suportes e esferas de circulação. Tais práticas envolvem a escrita mediada pelo professor ou colegas e articulada com os conhecimentos prévios dos alunos em língua materna e/ou outras línguas.

  • Criar um plano de investigação que aborda diversos aspectos de um problema para avaliar a própria produção escrita e a de colegas, com base no contexto de comunicação (finalidade e adequação ao público, conteúdo a ser comunicado, organização textual, legibilidade, estrutura de frases).

  • Combinar ideias que já existem com novas possibilidades para criar formas novas de atingir objetivos, reconstruindo o texto, com cortes, acréscimos, reformulações e correções, para aprimoramento, edição e publicação final.

  • Representar dados de diversas maneiras, inclusive produzindo textos (comentários em fóruns, relatos pessoais, mensagens instantâneas, tweets, reportagens, histórias de ficção, blogues, entre outros), com o uso de estratégias de escrita (planejamento, produção de rascunho, revisão e edição final), apontando sonhos e projetos para o futuro (pessoal, da família, da comunidade ou do planeta).

 

EIXO DIMENSÃO INTERCULTURAL – Reflexão sobre aspectos relativos à interação entre culturas (dos alunos e aquelas relacionadas a demais falantes de língua inglesa), de modo a favorecer o convívio, o respeito, a superação de conflitos e a valorização da diversidade entre os povos.

  • Vivenciar e compreender a importância de manter, celebrar, respeitar e valorizar tradições e manifestações culturais (artes plásticas e visuais, literatura, música, cinema, dança, festividades, entre outros) para o desenvolvimento da identidade pessoal, nacional e dos grupos, demonstrando flexibilidade para transitar por diferentes culturas, valorizando a diversidade e refletindo sobre os estereótipos criados em relação à África.

  • Demonstrar curiosidade e uma mente aberta para diferentes culturas e visões de mundo, investigando de que forma expressões, gestos e comportamentos são interpretados em função de aspectos culturais e examinando fatores que podem impedir o entendimento entre pessoas de culturas diferentes que falam a língua inglesa.

  • Reconhecer e se conectar com interesses e necessidades de diferentes atores em ambientes sociais mais próximos, aprendendo sobre diferentes tipos de trabalho voluntário, refletindo sobre a própria postura em relação ao voluntariado e relacionando atitudes a valores, refletindo sobre como nossas atitudes são baseadas neles

  • Explorar a produção de soluções social e ambientalmente sustentáveis refletindo sobre a importância de um estilo de vida sustentável. **

Linguagem Corporal e Cênica

A disciplina Linguagem Corporal e Cênica assume a responsabilidade de propor atividades e dinâmicas que trabalhem com o corpo e a mente, com emoções e percepções que as palavras não conseguem expressar.

A linguagem cênica também proporciona a criança o conhecimento de outro gênero, além da prosa e da poesia, o dramático, colabora não só para a promoção do sentimento de pertencimento do aluno em relação à comunidade escolar, como também para a ampliação, do universo artístico e cultural, possibilitando o trabalho reflexivo, a capacidade de apreciação estética e consequentemente a formação de um ser humano consciente de suas diversas competências e habilidades.

A disciplina desenvolve potencialidades artístico-criativas. O Teatro instaura a experiência artística multissensorial de encontro com o outro em performance. Nessa experiência, o corpo é lócus de criação ficcional de tempos, espaços e sujeitos distintos de si próprios, por meio do verbal, não verbal e da ação física. Os processos de criação teatral passam por situações de criação coletiva e colaborativa, por intermédio de jogos, improvisações, atuações e encenações, caracterizados pela interação entre atuantes e espectadores.

O fazer teatral possibilita a intensa troca de experiências entre os alunos e aprimora a percepção estética, a imaginação, a consciência corporal, a intuição, a memória, a reflexão e a emoção.

Atuamos todos os dias, em casa, na escola, no trabalho, assumimos papéis sociais constantemente em nossas vidas, como o de pai, mãe, filho, aluno, professor e de acordo com o ambiente assumimos personagens sociais reais. A atuação é o meio pelo qual nos relacionamos com o outro.

Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, o ato de dramatizar está potencialmente contido em cada um, como uma necessidade de compreender e representar uma realidade.

Dramatizar não é somente uma realização de necessidade individual na interação simbólica com a realidade proporcionando condições para um crescimento pessoal, mas uma atividade coletiva em que a expressão individual é acolhida. Ao partilhar de atividades teatrais o indivíduo tem a oportunidade de se desenvolver dentro de um determinado grupo social de maneira responsável, legitimando os seus direitos dentro desse contexto, estabelecendo relações entre o individual e o coletivo, aprendendo a ouvir, a acolher e a ordenar opiniões, respeitando as diferentes manifestações, com a finalidade de organizar a expressão de um grupo, possibilitando a criança compreender o pensamento e a linguagem do outro e entender que o brincar se transforma em um instrumento de construção de conhecimento.

No dinamismo da experimentação, da fluência criativa propiciada pela liberdade e segurança, o trabalho que integra corpo/mente/emoção proporciona trânsito livre por todas as emergências internas integrando imaginação, percepção, emoção, intuição, memória e raciocínio.

Assim podemos dizer que, as artes cênicas é o instrumento que resgata o homem de um estado linear cultural e o faz aventurar-se em um estado mais profundo, complexo, inovador e excitante. Seus pensamentos, modo de ver, sua percepção e sua cognição são largamente ampliadas fazendo com que responda melhor aos seus anseios e ao cotidiano do meio à onde vive, agregando potencialidades relacionadas à valores sociais, religiosos, educacionais e o bem-estar coletivo.

O teatro é muito importante na formação e no desenvolvimento da criança, considerando-a como um ser que pensa, sente e faz. Seja no aspecto pedagógico ou no aspecto artístico, assistido ou encenado, o teatro auxilia a criança no seu crescimento cultural e na sua formação como indivíduo. A disciplina utiliza música, dança, teatro, expressão corporal, textos clássicos da dramaturgia, preparação de cena e caracterização teatral com foco em conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais que evoluem numa espiral crescente ao longo do Ensino Fundamental. 

6º ano.
  • Entender que o teatro ocorre no dia a dia em todos os lugares.**

  • Conhecer e vivenciar as diferentes formas de contar uma história.**

  • Vivenciar e interpretar a contação de histórias através dos contos de fadas.**

  • Analisar e valorizar o patrimônio cultural, material e imaterial, de culturas diversas, em especial a brasileira, incluindo suas matrizes indígenas, africanas e europeias, de diferentes épocas, e favorecendo a construção de vocabulário e repertório relativos às diferentes linguagens artísticas.

  • Experimentar a gestualidade e as construções corporais e vocais de maneira imaginativa na improvisação teatral e no jogo cênico.

  • Explorar e criar improvisações e composições, utilizando vozes, sons corporais, instrumentos não convencionais e/ou outros materiais sonoros, expressando ideias musicais de maneira individual, coletiva e colaborativa.

  • Resgatar as cantigas de roda.**

  • Investigar brincadeiras, jogos, danças coletivas e outras práticas de dança de diferentes matrizes estéticas e culturais como referência para a criação e a composição de danças autorais, individualmente e em grupo.

  • Desenvolver a dança, movimentos rítmicos e demonstrar sentimentos ao representar os movimentos.**

  • Analisar e experimentar diferentes elementos (figurino, iluminação, cenário, trilha sonora etc.) e espaços (convencionais e não convencionais) para composição cênica e apresentação coreográfica.

  • Adequar o tom de voz ao espaço com boa articulação e pronúncia.**

  • Aceitar as diferenças e o trabalho do outro com olhar atento e respeitoso.**

  • Exerce a escuta ativa e receptiva.

  • Interage e aprende com outras pessoas, comunidades e culturas.

  • Manter atualizado os registros de sala de aula no caderno.**

  • Representar diferentes gêneros da dramaturgia e jogos teatrais.**

  • Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e considerando a relação com o espectador.

  • Pesquisar e criar formas de dramaturgias e espaços cênicos para o acontecimento teatral, em diálogo com o teatro contemporâneo.

  • Explorar diferentes elementos envolvidos na composição dos acontecimentos cênicos (figurinos, adereços, cenário, iluminação e sonoplastia) e reconhecer seus vocabulários.

  • Cooperar na arrumação do espaço de trabalho, mantendo-o limpo e organizado.**

  • Interpretar o personagem de forma coerente e lógica, marcando falas e atitudes através da expressão corporal e facial; de acordo com o perfil psicológico – sugerir comicidade, tristeza, captar os sentimentos e emoções das personagens.**

  • Expressa idéias, opiniões, emoções e sentimentos simples com clareza.

  • Investigar e experimentar diferentes funções teatrais (ator, figurinista, aderecista e maquiador/ visagista etc.) e compreender a relação entre elas nos processos de criação de personagem.

  • Respeitar o tempo determinado pelo professor para a caracterização do personagem e arrumação do espaço cênico e figurinos.**

  • Criar e representar cenas através da observação de diversas obras e gêneros da pintura.**

  • Experimenta, documenta, apresenta e compartilha obras criativas de diversas maneiras.

7º ano
  • Reconhecer e apreciar artistas e grupos de teatro brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas, investigando os modos de criação, produção, divulgação, circulação e organização da atuação profissional em teatro.

  • Explorar diferentes elementos envolvidos na composição dos acontecimentos cênicos (figurinos, adereços, cenário, iluminação e sonoplastia) e reconhecer seus vocabulários.

  • Experimentar a gestualidade e as construções corporais e vocais de maneira imaginativa na improvisação teatral e no jogo cênico.

  • Explorar e criar improvisações, composições, arranjos, jingles, trilhas sonoras, entre outros, utilizando vozes, sons corporais e/ou instrumentos acústicos ou eletrônicos, convencionais ou não convencionais, expressando ideias musicais de maneira individual, coletiva e colaborativa.

  • Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e considerando a relação com o espectador.

  • Pesquisar e analisar diferentes formas de expressão, representação e encenação da dança, reconhecendo e apreciando composições de dança de artistas e grupos brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas.

  • Explorar elementos constitutivos do movimento cotidiano e do movimento dançado, abordando, criticamente, o desenvolvimento das formas da dança em sua história tradicional e contemporânea.

  •  Experimentar e analisar os fatores de movimento (tempo, peso, fluência e espaço) como elementos que, combinados, geram as ações corporais e o movimento dançado.

  • Analisar e valorizar o patrimônio cultural, material e imaterial, de culturas diversas, em especial a brasileira, incluindo suas matrizes indígenas, africanas e europeias, de diferentes épocas, e favorecendo a construção de vocabulário e repertório relativos às diferentes linguagens artísticas.

  • Conhecer e representar o Teatro Grego.**

  • Conhecer características da tragédia grega.**

  • Relacionar o teatro grego com o teatro atual.**

  • Apreciar as esculturas gregas.**

  • Conhecer e encenar a história dos Deuses Gregos.**

  • Analisar e experimentar diferentes elementos (figurino, iluminação, cenário, trilha sonora etc.) e espaços (convencionais e não convencionais) para composição cênica e apresentação coreográfica.

  • Adequar o tom de voz ao espaço com boa articulação e pronúncia através da interpretação do personagem.**

  • Dialogar para definir consensos.**

  • Aceitar as diferenças e o trabalho do outro com olhar atento e respeitoso.**

  • Ouve outras pessoas com atenção, interesse e respeito por suas idéias e sentimentos.

  • Exercita o respeito mútuo e a interação genuína com o diferente.

  • Identificar e analisar diferentes estilos cênicos, contextualizando-os no tempo e no espaço de modo a aprimorar a capacidade de apreciação da estética teatral.

  • Pesquisar e criar formas de dramaturgias e espaços cênicos para o acontecimento teatral, em diálogo com o teatro contemporâneo.

  • Conhecer clássicos da dramaturgia teatral: obras de escritores.**

  • Conhecer a vida de William Shakespeare.**

  • Conhecer e representar a obra de William Shakespeare: A megera domada.**

  • Investigar e experimentar diferentes funções teatrais e discutir os limites e desafios do trabalho artístico coletivo e colaborativo.

  • Identificar e analisar diferentes estilos cênicos, contextualizando-os no tempo e no espaço de modo a aprimorar a capacidade de apreciação da estética teatral.

  • Experimentar, documentar, apresentar, compartilhar, revisar e analisar obras criativas.

  • Vivenciar o personagem da obra de William Shakespeare de modo criativo e inovador.**

  • Resgatar valores como o amor, através da história de A megera domada.**

  • diferentes gêneros da dramaturgia e jogos teatrais.**

  • Planejar a caracterização teatral: compor o personagem, elaborar a maquiagem cênica, confeccionar figurinos, cenários e adereços cênicos.**

  • Cooperar na arrumação do espaço de trabalho, mantendo-o limpo e organizado.**

  • Interpretar o personagem de forma coerente e lógica, marcando falas e atitudes através da expressão corporal e facial; de acordo com o perfil psicológico – sugerir comicidade, tristeza, captar os sentimentos e emoções das personagens.**

  • r Expressa idéias, opiniões, emoções e sentimentos com clareza.

  • Respeitar o tempo determinado pelo professor para a caracterização do personagem e arrumação do espaço cênico e figurinos.**

  • Relacionar as práticas artísticas às diferentes dimensões da vida social, cultural, política, histórica, econômica, estética e ética.

 

8ºano
  • Explorar elementos constitutivos do movimento cotidiano e do movimento dançado, abordando, criticamente, o desenvolvimento das formas da dança em sua história tradicional e contemporânea.

  • Experimentar e analisar os fatores de movimento (tempo, peso, fluência e espaço) como elementos que, combinados, geram as ações corporais e o movimento dançado.

  • Pesquisar e analisar diferentes formas de expressão, representação e encenação da dança, reconhecendo e apreciando composições de dança de artistas e grupos brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas.

  • Reconhecer e apreciar artistas e grupos de teatro brasileiros e estrangeiros de diferentes épocas, investigando os modos de criação, produção, divulgação, circulação e organização da atuação profissional em teatro.

  • Investigar, identificar e analisar poéticas pessoais em diferentes tempos e espaços, inclusive no contexto paulista e brasileiro, relacionando o teatro às diferentes dimensões da vida em sociedade e aprimorando a capacidade de apreciação estética teatral.

  • Identificar e analisar diferentes estilos cênicos, contextualizando-os no tempo e no espaço de modo a aprimorar a capacidade de apreciação da estética teatral.

  •  Explorar diferentes elementos envolvidos na composição dos acontecimentos cênicos (figurinos, adereços, cenário, iluminação e sonoplastia) e reconhecer seus vocabulários.

  • Pesquisar e criar formas de dramaturgias e espaços cênicos para o acontecimento teatral, em diálogo com o teatro contemporâneo.

  • Investigar e experimentar diferentes funções teatrais e discutir os limites e desafios do trabalho artístico coletivo e colaborativo.

  • Experimentar a gestualidade e as construções corporais e vocais de maneira imaginativa na improvisação teatral e no jogo cênico.

  • Explorar e analisar elementos constitutivos da música (altura, intensidade, timbre, melodia, ritmo etc.), por meio de recursos tecnológicos (games e plataformas digitais), jogos, canções e práticas diversas de composição/criação, execução e apreciação musicais.

  • Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e considerando a relação com o espectador.

  • Conhecer e vivenciar o universo lúdico da linguagem do palhaço.**

  • Dialogar para definir consensos.**

  • Aceitar as diferenças e o trabalho do outro com olhar atento e respeitoso.**

  • Ouve outras pessoas com atenção, interesse e respeito por suas idéias e sentimentos.

  • Exercita o respeito mútuo e a interação genuína com o diferente.

  • Conhecer clássicos da dramaturgia teatral: obras de escritores.**

  • Experimentar, documentar, apresentar, compartilhar, revisar e analisar obras criativas.

  • Investigar e experimentar diferentes funções teatrais (ator, figurinista, aderecista, maquiador/ visagista, cenógrafo, iluminador, sonoplasta, produtor, diretor e assessor de imprensa etc.) em processos de trabalho artístico coletivos e colaborativos, e compreender as características desse processo de trabalho.

  • Escrever e elaborar a sua própria cena com criatividade e inovação.

  • Cooperar na arrumação do espaço de trabalho, mantendo-o limpo e organizado.**

  • Interpretar o personagem de forma coerente e lógica, marcando falas e atitudes através da expressão corporal e facial; de acordo com o perfil psicológico – sugerir comicidade, tristeza, captar os sentimentos e emoções das personagens.**

  • Expressa idéias, opiniões, emoções e sentimentos com clareza.

  • Respeitar o tempo determinado pelo professor para a caracterização do personagem e arrumação do espaço cénico e figurinos.**

  • Experimentar, de maneira imaginativa na improvisação teatral e no jogo cênico, a gestualidade e as construções corporais e vocais de personagens que representem a diversidade do povo brasileiro, problematizando e combatendo estereótipos e preconceitos.

  • Compor improvisações e acontecimentos cênicos com base em textos dramáticos ou outros estímulos (música, imagens, objetos etc.), caracterizando personagens (com figurinos e adereços), cenário, iluminação e sonoplastia e considerando a relação com o espectador.

**Para além da base 

Área de Matemática e suas Tecnologias​

Matemática

O ensino de matemática deve contribuir para o desenvolvimento intelectual e das capacidades exigidas na vida social e profissional dos indivíduos, favorecendo tanto uma perspectiva mais unificada da matemática – integrando os pensamentos aritmético, algébrico, proporcional, geométrico e probabilístico – como também o entrelaçamento de muitas áreas do currículo. Adotar uma atitude positiva em relação à Matemática auxilia a capacidade de construir conceitos e procedimentos, estimula a autoestima e perseverança na busca de soluções. Neste contexto, o ensino da Matemática no Colégio Magister visa instigar o espírito investigativo dos alunos, propondo aulas dinâmicas onde os alunos são protagonistas do seu aprendizado. Ao privilegiar a construção do conhecimento pelo aluno, o professor passa a ser o colaborador, orientador e incentivador da aprendizagem, buscando sempre desenvolver a autonomia dos alunos.

Para isso, serão estabelecidos planos e estratégias para o desenvolvimento de várias formas de raciocínio (estimativa, analogia, indução, busca de padrão ou regularidade, pequenas inferências lógicas) e a construção do currículo de forma a integrar os vários eixos temáticos (números e operações, geometria, álgebra, grandezas e medidas, raciocínio combinatório, estatística e probabilidade) entre si e com outras áreas do conhecimento. Pretende-se desta forma, que os estudantes possam comunicar-se de modo matemático, argumentar, escrever e representar de várias maneiras (com números, tabelas, gráficos, diagramas) as ideias matemáticas e interagir com colegas cooperativamente, auxiliando-os e aprendendo com eles, apresentando suas ideias e respeitando as deles, contribuindo para um ambiente propício à aprendizagem.

 A disciplina também contemplará em seu planejamento ações para que os estudantes desenvolvam os conteúdos procedimentais e atitudinais abaixo:

  • Compreender os usos da Matemática nas situações cotidianas da sociedade de nosso tempo;

  • Relacionar novos conteúdos com os anteriores e aplicá-los na resolução de problemas.

  • Compreender a origem das fórmulas e aplicar os conceitos estudados de forma consciente;

  • Preocupar-se em aprimorar hábitos de estudo;

  • Perceber que as atitudes individuais refletem no coletivo;

  • Respeitar as diversidades presentes na turma, reconhecendo que os indivíduos aprendem em tempos diferentes;

  • Otimizar e aperfeiçoar o tempo e desenvolver a habilidade de trabalhar em equipe;

  • Preocupar-se em refazer os exercícios;

  • Preocupar-se em estudar previamente para as aulas. 

 

6º ano
  • Ampliar estratégias para reter os conhecimentos adquiridos, a fim de comparar, ordenar, ler e escrever números naturais e números racionais cuja representação  decimal é finita, fazendo uso da reta numérica.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam cálculos (mentais ou escritos, exatos ou aproximados) com números naturais, por meio de estratégias variadas, com compreensão dos processos neles envolvidos com e sem uso de calculadora.

  • Compartilhar informações e experiências com pessoas do seu convívio pessoal e social.

  • Resolver e elaborar problemas com números racionais positivos na representação decimal, envolvendo as quatro operações fundamentais e a potenciação, por meio de estratégias diversas, utilizando estimativas e arredondamentos para verificar a razoabilidade de respostas, com ou sem uso de calculadora.

  • Reconhecer que a relação de igualdade matemática não se altera ao adicionar, subtrair, multiplicar ou dividir seus dois membros por um mesmo número e utilizar essa noção para determinar valores desconhecidos na resolução de problemas;

  • Reconhecer, nomear e comparar polígonos, considerando lados, vértices e ângulos, e classificá-los em regulares e não regulares, tanto em suas representações no plano, quanto como em faces de poliedros, engajando-se em atividades de aprendizagem entre pares.

  • Assimilar as noções de área e perímetro bem como conhecer as unidades de medida de comprimento e de área mais comuns;

  • Analisar e descrever mudanças que ocorrem no perímetro e na área de um quadrado ao se ampliarem ou reduzirem, igualmente, as medidas de seus lados, para compreender que o perímetro é proporcional à medida do lado, o que não ocorre com a área. 

  • Identificar características dos quadriláteros, classificá-los em relação à lados e a ângulos e reconhecer a inclusão e intersecção de classes entre eles.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam as grandezas comprimento, massa, tempo, temperatura, área, capacidade e volume, sem uso de fórmulas, inseridos, sempre que possível, em contextos de situações reais e/ou relacionadas às outras áreas do conhecimento.

  • Classificar números naturais em primos e compostos, estabelecer relações entre números, expressas pelos termos “é múltiplo de”, “é divisor de”, ”é fator de”, e estabelecer, por meio de investigações, critérios de divisibilidade por 2, 5, 10, 100 e 1000.

  • Identificar os múltiplos de um número e obter o menor múltiplo comum (mmc) de dois ou mais números; 

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam as ideias de múltiplo e de divisor. 

  • Encontrar os divisores de um número aplicando regras de divisibilidade;

  • Escrever a expressão numérica que representa um problema; 

  • Compreender e aplicar as regras de resolução das expressões numéricas; 

  • Compreender potência como multiplicação de fatores iguais;

  • Quantificar e estabelecer relações entre o número de vértices, faces e arestas de prismas e pirâmides, em     função do seu polígono da base, para resolver problemas e desenvolver a percepção espacial, combinando ideias que já existem com novas possibilidades para criar formas novas de atingir objetivos.

  • Utilizar instrumentos, como régua e esquadros, ou softwares para representações de retas paralelas  e perpendiculares e construção de quadriláteros, entre outros.

  • Compreender fração com seus diferentes significados e modos de representação, inclusive vinculada à probabilidade de um evento;

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam porcentagens, com base na ideia de proporcionalidade, sem fazer uso da “regra de três”,  utilizando estratégias pessoais, cálculo mental e calculadora, no contexto de educação financeira, entre outros.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam o cálculo da fração de uma quantidade e cujo resultado seja um número natural, com e sem uso de calculadora. 

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam adição e subtração com números racionais positivos na representação fracionária.

  • Observar padrões, generalizar e expressar essas generalizações por meio de fórmulas; *

  • Ler e representar pontos no plano cartesiano, considerando o primeiro quadrante.

  • Ler e Interpretar gráficos com diferentes representações.

  • Construir figuras planas semelhantes em situações de ampliação e de redução, com o uso de malhas quadriculadas, plano cartesiano ou tecnologias digitais.

7º ano
  • Combinar ideias que já existem para criar formas novas de atingir objetivos para reconhecer que números racionais positivos podem ser expressos nas formas fracionária e decimal, estabelecer relações entre essas representações, passando de uma representação para outra e relacioná-los a pontos na reta numérica.

  • Comparar e ordenar frações associadas às ideias de partes de inteiros, resultado da divisão, razão e operador. 

  • Compreender e utilizar a multiplicação e a divisão de números racionais, a relação entre elas e suas propriedades operatórias.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam as operações com números racionais, fazendo conexões claras e adequadas entre ideias amplas a partir de diferentes caminhos.

  • Construir circunferências, utilizando compasso, reconhecê-las como lugar geométrico e utilizá-las para fazer composições artísticas e resolver problemas que envolvam objetos equidistantes. 

  • Ampliar estratégias para reter os conhecimentos adquiridos de modo a construir triângulos, usando régua e compasso, reconhecer a condição de existência do triângulo quanto à medida dos lados e verificar que a soma das medidas dos ângulos internos de um triângulo é 180o

  • Comparar e ordenar números inteiros em diferentes contextos, incluindo o histórico, associá-los a pontos da reta numérica e utilizá-los em situações que envolvam adição e subtração.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam operações com números inteiros.

  • Construir a noção de grandezas direta ou inversamente proporcionais;

  • Identificar situações de proporcionalidade ou de não proporcionalidade;

  • Resolver e elaborar problemas de proporcionalidade com base em relações numéricas;

  • Desenvolver habilidades de cálculo mental;

  • Ler e Interpretar gráficos com diferentes representações;

  • Representar figuras planas a partir dos vértices representados no plano cartesiano.

  • Realizar transformações de polígonos representados no plano cartesiano, decorrentes da multiplicação das coordenadas de seus vértices por um número inteiro.

  • Resolver e elaborar problemas de cálculo de medida de volume de blocos retangulares, envolvendo as unidades usuais (metro cúbico, decímetro cúbico e centímetro cúbico), expressando ideias originais com clareza, mantendo discussões conectadas com as ideias de outras pessoas e buscando o entendimento mútuo.

  • Resolver e elaborar problemas de área, perímetro e volume;

  • Traduzir sentenças verbais para a linguagem matemática, construindo conceitos de variável e função;

  • Resolver e elaborar problemas que possam ser representados por equações polinomiais de 1º grau, redutíveis à forma ax + b = c, fazendo uso das propriedades da igualdade.

  • Realizar alguns experimentos para compreender o significado de aleatoriedade e de espaço amostral.

  • Compreender o significado de média em uma distribuição estatística.

 

8º ano
  • Reconhecer se duas expressões algébricas obtidas para descrever a regularidade de uma mesma sequência numérica são ou não equivalentes.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam cálculo do valor numérico de expressões algébricas, utilizando as propriedades das operações.  

  • Efetuar as operações básicas envolvendo monômios e polinômios ampliando estratégias para reter os conhecimentos adquiridos. *

  • Compreender a ideia de variável, representada por letra ou símbolo, para expressar relação entre duas grandezas, diferenciando-a da ideia de incógnita.

  • Generalizar situações através de expressões algébricas, engajando - se em atividades de  aprendizagem entre pares;

  • Resolver e elaborar problemas que envolvem o cálculo do valor numérico em expressões algébricas, utilizando as propriedades das operações. 

  • Resolver e elaborar problemas relacionados ao seu contexto próximo, que possam ser representados por sistemas de equações de 1º grau com duas incógnitas e interpretá-los, utilizando, inclusive, o plano cartesiano como recurso.

  • Resolver e elaborar, com e sem uso de tecnologias, problemas que possam ser representados por equações polinomiais de 2º grau do tipo ax2=b

  • Identificar a natureza da variação de duas grandezas, diretamente, inversamente proporcionais ou não proporcionais, expressando a relação existente por meio de sentença algébrica e representá-la no plano cartesiano.

  • Desenvolver habilidades em cálculo mental e em estimativas fazendo conexões claras e adequadas entre ideias amplas a partir de diferentes caminhos;

  • Efetuar cálculos com potências de expoentes inteiros e aplicar esse conhecimento na representação de números em notação científica. 

  • Resolver e elaborar problemas usando a relação entre potenciação e radiciação, para representar uma raiz como potência de expoente fracionário. 

  • Resolver e elaborar problemas, envolvendo cálculo de porcentagens, incluindo o uso de tecnologias digitais. 

  • Solucionar equações fracionárias e utilizá-las na resolução de problemas criando um plano de investigação que aborda diversos aspectos.*

  • Demonstrar propriedades de quadriláteros por meio da identificação da congruência de triângulos.

  • Reconhecer simetrias em triângulos, quadriláteros e polígonos regulares, prevendo possibilidades, identificando e testando consequências para colocar ideias em prática, aprendendo com erros e acertos.

  • Conhecer as propriedades dos ângulos opostos pelo vértice e dos ângulos alternos e internos comparando, agrupando e sintetizando informações de diversas fontes, inclusive suas próprias ideias e afirmações, elaborando uma explicação ou um argumento coeso e embasado.*

  • Calcular medidas de ângulos em configurações com retas paralelas e uma transversal; *

  • Reconhecer e construir figuras obtidas por composições de transformações geométricas (translação, reflexão e rotação), avançando em discussões coletivas por meio da formulação de perguntas e respostas e  uso de instrumentos de desenho ou de softwares de geometria dinâmica.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam medidas de área de figuras geométricas, utilizando expressões de cálculo de área (quadriláteros, triângulos e círculos), em situações como determinar medida de terrenos reconhecendo a importância de utilizar o conhecimento para a tomada de decisões individuais e coletivas.

  • Reconhecer a relação entre um litro e um decímetro cúbico e a relação entre litro e metro cúbico, para resolver problemas de cálculo de capacidade de recipientes.

  • Resolver e elaborar problemas que envolvam o cálculo do volume de recipiente cujo formato é o de um cilindro reto.

  • Construir, utilizando instrumentos de desenho ou softwares de geometria dinâmica, mediatriz, bissetriz, ângulos de 90°, 60°, 45° e 30° e polígonos regulares.  

  • Descrever, por escrito e por meio de um fluxograma, um algoritmo para a construção de um hexágono regular de qualquer área, a partir da medida do ângulo central e da utilização de esquadros e compasso. 

  • Aplicar os conceitos de mediatriz e bissetriz como lugares geométricos na resolução de problemas criando um plano de investigação que aborda diversos aspectos de um problema.

  • Planejar e executar pesquisa amostral, selecionando um técnica de amostragem adequada, e escrever relatório que contenha os gráficos apropriados para representar os conjuntos de dados, destacando aspectos como as medidas de tendência central, a amplitude e as conclusões. 

  • Calcular a probabilidade de eventos, com base na construção do espaço amostral, utilizando o princípio multiplicativo, e reconhecer que a soma das probabilidades de todos os elementos do espaço amostral é igual a 1.

  • Selecionar razões, de diferentes naturezas (física, ética ou econômica), que justificam a realização de pesquisas amostrais e não censitárias, e reconhecer que a seleção da amostra pode ser feita de diferentes maneiras (amostra casual simples, sistemática e estratificada).

  • Resolver e elaborar problemas de contagem usando diagrama de árvore fazendo conexões claras e adequadas entre ideias amplas a partir de diferentes caminhos.

  • Obter os valores de medidas de tendência central de uma pesquisa estatística ( média, moda  e mediana) com a compreensão de seus significados e relacioná-los com a dispersão de dados, indica pela amplitude.

* para além da BNCC

A disciplina também contemplará em seu planejamento ações para que os estudantes desenvolvam os conteúdos procedimentais e atitudinais abaixo:

  • Compreender os usos da Matemática nas situações cotidianas da sociedade de nosso tempo;

  • Desenvolver competência para enfrentar problemas novos. Relacionar novos conteúdos com os anteriores e aplicá-los na resolução de problemas.

  • Compreender a origem das fórmulas e aplicar os conceitos estudados de forma consciente;

  • Preocupar-se em aprimorar hábitos de estudo;

  • Perceber que as atitudes individuais refletem no coletivo;

  • Respeitar as diversidades presentes na turma, reconhecendo que os indivíduos aprendem em tempos diferentes;

  • Otimizar e aperfeiçoar  o tempo e desenvolver a habilidade de trabalhar em equipe;

  • Preocupar-se em refazer os exercícios;

  • Preocupar-se em estudar previamente para as aulas.

Área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

História

Partindo do recorte temporal amplo (Idade Antiga, Medieval, Moderna e Contemporânea), a disciplina de História trabalhada no Ensino Fundamental II tem por objetivo proporcionar ao educando a observação crítica em relação aos acontecimentos históricos, tendo como finalidade traçar conexões entre o passado e o presente, percebendo que os componentes sociais, políticos, econômicos e culturais da atualidade são desdobramentos dos processos históricos ocorridos no passado. Através da associação entre a linearidade e transversalidade histórica, que respectivamente facilitam e pode vir a tornar complexo o entendimento e a análise de momentos históricos pré-estabelecidos nas aprendizagens fundamentais, o educando deverá findar o Ensino Fundamental II com a capacidade de fazer a leitura da realidade local, regional, nacional e mundial baseando-se nas informações obtidas, debatidas e problematizadas em sala de aula. Reconhecendo-se enquanto indivíduo inserido na sociedade, identificando processos históricos, reconhece criticamente as relações de poder neles existentes, assim como intervindo no mundo histórico em que vive, de modo a se fazer presente na conjuntura histórica. Por essa razão, sujeito às influências que o externo exerce sobre ele, mas também percebendo como as ações individuais e coletivas interferem no meio social.

Nesse sentido, o trabalho central da História é o de relembrar o que os outros esquecem. Cabe, no entanto, a tarefa de não só resgatar o passado, mas também, interpretá-lo. Pois, frente ao trabalho da História estão as crenças, os ideais, a vida das pessoas passadas. Diante disso, não cabe a História julgar, mas compreender esses processos. E desta forma visamos oportunizar situações que possibilitem ao estudante o espírito crítico-reflexivo, tendo por base o conhecimento histórico, permitindo-lhe: compreender a realidade histórica que norteia a sociedade na qual está inserido; ampliar sua compreensão, confrontando-a e relacionando-a com outras realidades; valorizar o patrimônio sociocultural (material e imaterial) e respeitar a diversidade humana; considerar critérios éticos; promover a discussão sobre o processo de construção do conhecimento histórico; verificar a natureza dessa produção, bem como as correntes historiográficas que norteiam a escrita da História; identificar relações entre passado e presente, discernindo semelhanças e diferenças, permanências e transformações do tempo histórico, promovendo um elo com a realidade cotidiana dos estudantes. Assim, estaremos contribuindo para a formação do estudante como cidadão participante do seu mundo e do seu tempo, mediando reflexiva identificação da História contada em diferentes documentos e nas memórias, e estimulando-o a argumentar e a construir suas próprias narrativas históricas.

Para tanto, é importante considerar que, de acordo com a Base Nacional Comum, para o ensino e aprendizagem da História no Ensino Fundamental, especialmente nos anos finais, três eixos são importantes. São eles:

1. Identificação de eventos na história do Ocidente (África, Europa e América, especialmente o Brasil), ordenando-os de forma cronológica e localizando-os no espaço geográfico.

2. Compreensão dos significados da produção, circulação e utilização de documentos (materiais ou imateriais), elaborando críticas sobre formas já consolidadas de registro e de memória, por meio de uma ou várias linguagens.

3. Interpretação de diferentes versões de um mesmo fenômeno, reconhecendo as hipóteses e avaliando os argumentos apresentados com vistas ao desenvolvimento de habilidades necessárias para elaboração de proposições próprias.

A relação passado/presente não se processa de forma automática, pois exige o conhecimento de referências teóricas capazes de trazer inteligibilidade aos objetos históricos selecionados. Um objeto só se torna documento quando apropriado por um narrador que a ele confere sentido, tornando-o capaz de expressar a dinâmica da vida das sociedades.

Portanto, o que nos interessa no conhecimento histórico é perceber a forma como os indivíduos construíram, com diferentes linguagens, suas narrações sobre o mundo em que viveram e vivem, suas instituições e organizações sociais.  Nesse sentido, “O historiador não faz o documento falar: é o historiador quem fala e a explicitação de seus critérios e procedimentos é fundamental para definir o alcance de sua fala. Toda operação com documentos, portanto, é de natureza retórica.”

A história não emerge como um dado ou um acidente que tudo explica: ela é a correlação de forças, de enfrentamentos e da batalha para a produção de sentidos e significados, que são constantemente reinterpretados por diferentes grupos sociais e suas demandas – o que, consequentemente, suscita outras questões e discussões. O exercício do “fazer história”, de indagar, é marcado, inicialmente, pela constituição de um sujeito. Em seguida, amplia-se para o conhecimento de um “Outro”, às vezes semelhante, muitas vezes diferente.

A Base Nacional Comum e o Currículo Paulista orientam que o ensino e aprendizagem da História no Ensino Fundamental, especialmente nos anos finais, devem ser tratados à luz de 3 eixos. São eles:

1. Identificação de eventos importantes na história do Ocidente (África, Europa e América, especialmente o Brasil), ordenando-os de forma cronológica e localizando-os no espaço geográfico.

2. Compreensão dos significados da produção, circulação e utilização de documentos (materiais ou imateriais), elaborando críticas sobre formas já consolidadas de registro e de memória, por meio de uma ou várias linguagens.

3. Interpretação de diferentes versões de um mesmo fenômeno, reconhecendo as hipóteses e avaliando os argumentos apresentados com vistas ao desenvolvimento de habilidades necessárias para elaboração de proposições próprias.

6º ano    

O Ofício do Historiador:

  • Desenvolver o conceito de tempo-espaço ao mesmo tempo em que evidencia as ferramentas que dão suporte à ciência histórica, esclarecendo os meandros trilhados pela disciplina para remontar e recontar a trajetória humana no decorrer das eras, agregando a percepção do educando, a capacidade de analisar diferentes tempos e espaços através da coleta, seleção e interpretação  de documentos.

  • Identificar diferentes formas de compreensão da noção de tempo e de periodização dos processos históricos (continuidades e rupturas).

  • Compreender o sentido e significado de CULTURA (material e imaterial) e a importância das diferentes populações na produção das culturas que compõem o patrimônio cultural brasileiro.

  • Identificar a gênese da produção do saber histórico e analisar o significado das fontes que originaram determinadas formas de registro em sociedades e épocas distintas.

            

História e tempo

Desenvolver o conceito de tempo-espaço ao mesmo tempo em que evidencia as ferramentas que dão suporte à ciência histórica, esclarecendo os meandros trilhados pela disciplina para remontar e recontar a trajetória humana no decorrer das eras, agregando a percepção do educando, a capacidade de analisar diferentes tempos e espaços através da coleta, seleção e interpretação  de documentos.

  • Selecionar elementos mais importantes, encontrar os significados e conexões diferentes entre as diferentes partes de informações e organizar os conhecimentos.

  • Identificar diversas notação do tempo

( calendários diversos e outros artefatos) como distintas formas de periodização da História. 

  • Identificar diferentes formas de compreensão da noção de tempo e de periodização dos processos históricos (continuidades e rupturas).

 Fontes e conhecimentos históricos

  • Compreender o sentido e significado de CULTURA (material e imaterial) e a importância das diferentes populações na produção das culturas que compõem o patrimônio cultural brasileiro.

  •  Identificar a importância das fontes

históricas para a produção do saber histórico.

  • Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas.

  • Explicar formas como grupos e identidades culturais mudam com o passar do tempo e em diferentes contextos.

 

As Origens da Humanidade (Pré-história):

  • Apresentar as diferentes formas de periodização da História, chamando a atenção para os problemas ligados à expressão “Pré-História”, ao mesmo tempo em que se explica o papel dos historiadores e de suas perspectivas historiográficas ao adotarem uma ou outra forma de periodização.

  • Analisar o significado das explicações mitológicas e científicas para o surgimento do ser humano, tendo em vista sua historicidade

  • Posicionar-se criticamente a partir do seus conhecimentos.

  • Analisar o desenvolvimento das tecnologias pré-históricas e as interferências diretas no cotidiano dessas sociedades.

 

Os primeiros habitantes da América

  •  Conhecer as teorias sobre a origem do homem na América e no Brasil.

  • Descrever modificações da natureza e da paisagem realizadas por diferentes tipos de sociedade, com destaque para os povos indígenas originários e povos africanos, e discutir a natureza e a lógica das transformações ocorridas.

  •  Identificar geograficamente as rotas de povoamento no território americano.

  • Saber utilizar diferentes fontes de informação e recursos tecnológicos para adquirir e construir conhecimentos sobre as populações do passado e do presente.

**Compreender os elementos básicos relacionados com a chamada “Pré-História” brasileira, relacionando-os com as primeiras populações africanas, ocupação do continente americano e do Brasil, com ênfase nas populações indígenas brasileiras e quilombolas, e discutir a natureza e a lógica das transformações ocorridas.

  •  Identificar os espaços territoriais ocupados e os aportes culturais, científicos, sociais e econômicos dos astecas, maias e incas e dos povos indígenas de diversas regiões brasileiras.

 

Egito e Kush / Mesopotâmia/ China

  • Estudo da vida urbana no oriente e África: Explicar as hipóteses sobre o surgimento e evolução das primeiras civilizações, evidenciando as estruturas socioeconômicas e religiosas das sociedades que se desenvolveram na região do Crescente e Fértil, destacando as civilizações da antiga Mesopotâmia, e as Sociedades Egípcia e cuxita, no continente africano. Analisar os elementos que contribuíram para a desagregação das sociedades tradicionais e o surgimento de sociedades complexas.

  • Utilizar estratégias de debates para explorar ideias durante o processo de construção do conhecimento e compartilhar informações com os outros.

  • Identificar aspectos e formas de registro das sociedades antigas na África, no Oriente Médio e nas Américas, distinguindo alguns significados presentes na cultura material e na tradição oral dessas sociedades

Grécia: e Macedônia

  •  Discutir o conceito de Antiguidade Clássica, seu alcance e limite na tradição ocidental, assim como os impactos sobre outras sociedades e culturas.

  • Explicar a formação da Grécia Antiga, com ênfase na formação da pólis e nas

transformações políticas, sociais e culturais.

**Explicar o surgimento e desenvolvimento das sociedades ligadas às polis gregas, aprofundar os fatores que determinaram a formação da cultura grega no que tange às estruturas políticas (monarquia, aristocracia e democracia), às estruturas religiosas, militares e à estruturação dos saberes de cunho científico, relacionando com a democracia do Brasil atual.

  • **Compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia a dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito.

 

Roma:

  • Caracterizar o processo de formação da Roma Antiga e suas configurações sociais e políticas nos períodos monárquico e republicano.

  • Associar o conceito de cidadania a dinâmicas de inclusão e exclusão na Grécia e Roma antigas.

  • Conceituar “império” no mundo antigo, com vistas à análise das diferentes formas de equilíbrio e desequilíbrio entre as partes envolvidas.

  • Identificar e analisar diferentes formas de contato, adaptação ou exclusão entre populações em diferentes tempos e espaços.

  • Associar o conceito de cidadania a dinâmicas de inclusão e exclusão na Grécia e Roma antigas.

  • Demonstrar curiosidade e uma mente aberta para diferentes culturas e visões do mundo.

  • **Analisar os elementos básicos da civilização romana nos seus aspectos sociais, políticos, econômicos e culturais, contextualizando os eventos ocorridos e explicando o encerramento da Idade Antiga, ao passo que relaciona o legado cultural que chegou à nossa sociedade sob o título de heranças culturais à instituição de nossa República Federativa do Brasil em espelhamento à República Romana.

Feudalismo: sociedade, cultura e religião.

  •  Caracterizar e comparar as dinâmicas de abastecimento e as formas de organização do trabalho e da vida social em diferentes sociedades e períodos, com destaque para as relações entre senhores e servos.

  • Diferenciar escravidão, servidão e trabalho livre no mundo antigo.

  • Analisar o papel da religião cristã na cultura e nos modos de organização social no período medieval.

  • Demonstrar curiosidade e uma mente aberta para diferentes culturas e visões do mundo.

  •  Descrever e analisar os diferentes papéis sociais das mulheres no mundo antigo e nas sociedades medievais.

  • Identificar as características e trajetórias do Cristianismo, do povo hebreu e do povo árabe, estabelecendo as relações do mundo medieval cristão com o mundo árabe e com as populações judaicas.

 7º ano

Mudanças na Europa Feudal.

Renascimento e Humanismo

Reforma e Contrarreforma

  • Identificar e relacionar as vinculações entre as reformas religiosas e os processos culturais e sociais do período moderno na Europa e na América.

  • Comparar as navegações no Atlântico e no Pacífico entre os séculos XIV e XVI, especialmente em relação aos avanços científicos, às novas rotas, às relações comerciais e interações culturais até então estabelecidas.

  • **Explicar a atuação dos diferentes grupos que integraram o mundo medieval. 

  • **Analisar os elementos básicos do universo simbólico da mentalidade medieval nos seus aspectos sociais, políticos, econômicos e culturais, de tal forma que possam se posicionar criticamente em relação ao mundo medieval e sua mentalidade. Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas.

  • Identificar as principais características dos Humanismos e dos Renascimentos, analisar seus significados, relacionando-os ao processo da expansão marítima.

 

Estado Moderno/ As grandes navegações 

  • Descrever os processos de formação e consolidação das monarquias e suas principais características com vistas à compreensão das razões da centralização política.

  • Descrever as formas de organização das sociedades americanas no tempo da conquista com vistas à compreensão dos mecanismos de alianças, confrontos e resistências.

  • Analisar os diferentes impactos da conquista européia da América para as populações ameríndias e identificar as formas de resistência (Astecas, Incas , Maias e Tupis).

  • Demonstrar curiosidade é uma mente aberta para diferentes culturas e visões.

  • Analisar a formação histórico-geográfica do território da América portuguesa por meio de mapas históricos.

  • Identificar a distribuição territorial da população brasileira em diferentes épocas, considerando a diversidade étnico-racial e étnico-cultural (indígena, africana, europeia e asiática).

  • - Identificar conexões e interações entre as sociedades do Novo Mundo, da Europa, da África e da Ásia no contexto das navegações e indicar a complexidade e as interações que ocorrem nos Oceanos Atlântico, Índico e Pacífico.

  • Descrever as dinâmicas comerciais das sociedades americanas e africanas e analisar suas interações com outras sociedades do Ocidente e do Oriente.

  • Discutir o conceito de escravidão moderna e suas distinções em relação ao escravismo antigo e à servidão medieval.

  • Analisar os mecanismos e as dinâmicas de comércio de escravizados em suas

diferentes fases, identificando os agentes responsáveis pelo tráfico e as regiões e zonas africanas de procedência dos escravizados.

  • Discutir as razões da passagem do mercantilismo para o capitalismo.

**A Europa entre os séculos XI e XVI

  •  Compreender as principais transformações pelas quais passou a Europa entre os séculos XI e XVI, com destaque para mudanças que atingiram a produção e a vida econômica, o Renascimento e Humanismo e a Reforma e Contrarreforma religiosas.

Expressar ideias, opiniões e sentimentos simples com clareza.

  • **Analisar a realidade como situação-problema, utilizar pensamento lógico, criatividade, intuição para ponderar possíveis resoluções.

  • Estabelecer uma relação entre política e cultura, expressa em manifestações religiosas, artísticas e educacionais.

Povos e culturas africanas:

  •  Explicar o significado de “modernidade” e suas lógicas de inclusão e exclusão, com base em uma concepção europeia.

  • Identificar conexões e interações entre as sociedades do Novo Mundo, da Europa, da África e da Ásia no contexto das navegações e indicar a complexidade e as interações que ocorrem nos Oceanos Atlântico, Índico e Pacífico.

  • Identificar aspectos e processos específicos das sociedades africanas e americanas antes da chegada dos europeus, com destaque para as formas de organização social e o desenvolvimento de saberes e técnicas.

  • **Estudar o Império do Mali, o Reino do Congo, o Reino do Benin e a presença das populações banta e ioruba no Brasil, considerando sua importante contribuição civilizacional para a formação da população e da cultura brasileira.

  • **Explicar o desenvolvimento social, cultural e tecnológico existente no continente africano até meados do século XIII.

  • **Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas.

  • **Compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia a dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito.

Demonstrar curiosidade é uma mente aberta para diferentes culturas e visões.

  • Valorizar atitudes de respeito à diversidade étnica e cultural.

**Desenvolver o conhecimento ajustado de si mesmo e o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de inter-relação pessoal e de inserção social, para agir com perseverança na busca de conhecimento e no exercício da cidadania.

Formação do território da América.

  • **Explicar as formas de colonização e organização administrativa e política na América por parte dos ingleses, holandeses, espanhóis e portugueses, assim como a exploração econômica pela metrópole em suas colônias.

  • **Conhecer características fundamentais do Brasil nas dimensões sociais, materiais e culturais como meio para construir, progressivamente, a noção de identidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinência ao país.

  • Analisar a formação histórico-geográfica do território da América portuguesa por meio de mapas históricos.

  • **Conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.

Demonstrar curiosidade é uma mente aberta para diferentes culturas e visões.

  • Identificar a distribuição territorial da população brasileira em diferentes épocas, considerando a diversidade étnico-racial, étnico-cultural (indígena, africana, europeia e asiática) e os interesses políticos e econômicos.

  •  Analisar os mecanismos e as dinâmicas de comércio de escravizados em suas diferentes fases, identificando os agentes responsáveis pelo tráfico e as regiões e zonas africanas de procedência dos escravizados.

  •  Descrever as formas de organização das sociedades americanas no tempo da conquista com vistas à compreensão dos mecanismos de alianças, confrontos e resistências.

8° ano
  • **Compreender o processo revolucionário como a ampliação dos direitos políticos, sociais e jurídicos dos cidadãos franceses e o impacto sobre os demais países em todos os continentes,

  • **Utilizar os conceitos defendidos pelos ideólogos da revolução para reconhecer a influência que tais ideais exercem sobre nossa sociedade, posicionando-se criticamente a partir de critérios éticos.

  • Identificar os principais aspectos conceituais do iluminismo e do liberalismo e discutir a relação entre eles e a organização do mundo contemporâneo. 

 

Rebeliões na América Portuguesa:

  • Explicar os movimentos e as rebeliões da América portuguesa, articulando as temáticas locais e suas interfaces com processos ocorridos na Europa e nas Américas, a fim de interpretar dados e informações de maneira precisa, considerando o contexto em que foram produzidos.

  • **Analisar a relação colônia-metrópole (Brasil e Portugal) durante os séculos XVIII e XIX, tendo como enfoque principal o setor político e econômico, posicionando-se criticamente a partir de critérios éticos.

  • **Compreender a relação de exploração de Portugal sobre o Brasil partindo de suas motivações para entender os impactos resultantes na geografia e demografia atuais, a fim de estabelecer conexões claras e adequadas em comparação com outros modelos de colonização.

 

A formação dos Estados Unidos:

  • **Analisar o movimento de expansão territorial dos Estados Unidos da América no século XIX, comparando, agrupando e sintetizando informações de diversas fontes, inclusive suas próprias ideias e afirmações, elaborando uma explicação ou um argumento coeso e embasado. 

  • Aplicar os conceitos de Estado, nação, território, governo e país para o entendimento de conflitos e tensões, posicionando-se criticamente a partir de critérios éticos.

  • Identificar e contextualizar as especificidades dos diversos processos de independência nas Américas, seus aspectos populacionais e suas conformações territoriais, com a intenção de analisar e explicar como as evidências sustentam argumentos e afirmações. 

  • **Compreender o contexto de exploração por parte da coroa inglesa que precipitou o processo de colonização das trezes colônias que esteve relacionado aos problemas sociais existentes na metrópole, posicionando-se criticamente a partir de critérios éticos.

  • **Perceber as diferenças nas formas de ocupação e colonização entre a América portuguesa e as treze colônias, com o intuito de identificar políticas públicas equivocadas sob diferentes pontos de vista.

 

Os processos de independência nas Américas:

  •  Conhecer o ideário dos líderes dos movimentos independentistas e seu papel nas revoluções que levaram à independência das colônias hispano-americanas

  • Explicar as rebeliões da América Portuguesa (em especial a Conjuração Mineira, a Conjuração Baiana e a Revolução Pernambucana), estabelecendo relações com os ideais iluministas, com as revoluções burguesas na Europa e com a independência das Treze Colônias inglesas na América.

  • Conhecer as características e os principais pensadores do Pan-americanismo, posicionando-se criticamente a partir de critérios éticos.

  • Identificar a Revolução de São Domingo como evento singular e desdobramento da Revolução Francesa e avaliar suas implicações, com o intuito de identificar acertos, exageros e condutas equivocadas sob diferentes pontos de vista.

  • Identificar e explicar os protagonismos e a atuação de diferentes grupos sociais e étnicos nas lutas de independência no Brasil, na América espanhola e no Haiti, explicando as formas como grupos e identidades culturais mudam com o passar do tempo e em diferentes contextos.

 

A chegada da Família Real e a Emancipação política do Brasil:

  • Caracterizar a organização política e social no Brasil desde a chegada da Corte portuguesa, em 1808, até 1822 e seus desdobramentos para a história política brasileira, posicionando-se criticamente a partir de critérios éticos.

  • **Relacionar a colonização brasileira e o estabelecimento da colônia enquanto local de geração de riquezas para a metrópole com os interesses de produção daquilo que fosse economicamente viável no mercado europeu (Mercantilismo), de forma a explorar novas formas de reconciliar valores e perspectivas culturais no contexto global da atualidade.

  • **Reconhecer a escravidão no período colonial como elemento resultante do processo mercantilista presente na Idade Moderna, reduzindo o africano à condição de mercadoria, a fim de compreender a importância de manter, celebrar, respeitar e valorizar tradições e manifestações culturais para o desenvolvimento da identidade pessoal, nacional e dos grupos, demonstrando flexibilidade para transitar por diferentes culturas.

  • Analisar o processo de independência em diferentes países latino-americanos e comparar as formas de governo neles adotadas, posicionando-se criticamente a partir de critérios éticos.

  • Discutir a noção da tutela dos grupos indígenas e a participação dos negros na sociedade brasileira do final do período colonial, identificando permanências na forma de preconceitos, estereótipos e violências sobre as populações indígenas e negras no Brasil e nas Américas, a fim de compreender a importância de manter, celebrar, respeitar e valorizar tradições e manifestações culturais para o desenvolvimento da identidade pessoal, nacional e dos grupos, demonstrando flexibilidade para transitar por diferentes culturas.

  • **Compreender o contexto que resultou na Independência do Brasil relacionando-o com a realidade social e política presente na América, elaborando novas perspectivas para resolução dos problemas sociais existentes na atualidade.

  • Primeiro Reinado, Período Regencial e Segundo Reinado

  • Identificar e analisar o equilíbrio das forças e os sujeitos envolvidos nas disputas políticas durante o Primeiro e o Segundo Reinado, exercitando aspectos retóricos de comunicação verbal e no ato de ofertar respostas adequadas.

  • Identificar, comparar e analisar a diversidade política, social e regional nas rebeliões e nos movimentos contestatórios ao poder centralizado, exercitando a escuta e diálogo respeitoso de pontos de vista diferentes.

  • Relacionar as transformações territoriais, em razão de questões de fronteiras, com as tensões e conflitos durante o Império.

  • Identificar as questões internas e externas sobre a atuação do Brasil na Guerra do Paraguai e discutir diferentes versões sobre o conflito, expressando ideias originais com clareza, mantendo discussões conectadas com as ideias de outras pessoas e buscando o entendimento mútuo.

  • ** Ser consciente da nossa condição social e cultural fruto do processo colonial, fortalecendo o respeito a nossa cultura, inclusive em sala de aula.

  • Formular questionamentos sobre o legado da escravidão nas Américas, com base na seleção e consulta de fontes de diferentes naturezas, expressando ideias originais com clareza, mantendo discussões conectadas com as ideias de outras pessoas e buscando o entendimento mútuo.

  • Identificar e relacionar aspectos das estruturas sociais da atualidade com os legados da escravidão no Brasil e discutir a importância de ações afirmativas, exercitando a escuta e diálogo respeitoso de pontos de vista diferentes.

  • Identificar e analisar as políticas oficiais com relação ao indígena durante o Império, exercitando a escuta e diálogo respeitoso de pontos de vista diferentes.

 

  • Identificar as características das revoltas negras no Brasil do século XIX, principalmente a Revolta dos Malês, e analisar os seus impactos na ordem escravocrata então vigente. 

  • Identificar, com base da seleção e século XIX: darwinismo e consulta de fontes de diferentes naturezas a racismo, tensões e os significados dos discursos.

  • Identificar as tensões e os significados dos discursos civilizatórios, avaliando seus impactos negativos para os povos indígenas originários e as populações negras nas Américas, persistindo mesmo em situações de ambiguidade e dificuldade, em prol de projetos presentes e futuros.

  • ** Posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas.

 

Imperialismo e neo colonialistas na África e na Ásia

  • Identificar e contextualizar o protagonismo das populações locais na resistência ao imperialismo na África e Ásia.

  • Reconhecer os principais produtos, utilizados pelos europeus, procedentes do continente africano durante o imperialismo e analisar os impactos sobre as comunidades locais na forma de organização e exploração econômica.

  • Estabelecer relações causais entre as ideologias raciais e o determinismo no contexto do imperialismo europeu e seus impactos na África e na Ásia.

Geografia

Estudar Geografia é uma oportunidade para compreender o mundo em que se vive, na medida em que esse componente curricular aborda as ações humanas construídas nas distintas sociedades existentes nas diversas regiões do planeta. Ao mesmo tempo, a educação geográfica contribui para a formação do conceito de identidade, expresso de diferentes formas: na compreensão perceptiva da paisagem que ganha significado, à medida que, ao observá-la, nota-se a vivência dos indivíduos e da coletividade; nas relações com os lugares vividos; nos costumes que resgatam a nossa memória social; na identidade cultural; e na consciência de que somos sujeitos da história, distintos uns dos outros e, por isso, convictos das nossas diferenças. 

Para fazer a leitura do mundo, com base nas aprendizagens em Geografia, os estudantes precisam ser estimulados a pensar espacialmente, desenvolvendo o raciocínio geográfico. O pensamento espacial está associado ao desenvolvimento intelectual que integra conhecimentos não somente da Geografia, mas também de outras áreas do conhecimento. Essa interação visa à resolução de problemas que envolvem mudanças de escala, orientação e direção de objetos localizados na superfície terrestre, efeitos de distância, relações hierárquicas, tendências à centralização e à dispersão, efeitos da proximidade e vizinhança etc. O raciocínio geográfico, uma maneira de exercitar o pensamento espacial, aplica determinados princípios para compreender aspectos fundamentais da realidade: a localização e a distribuição dos fatos e fenômenos na superfície terrestre, as ações antrópicas, o ordenamento territorial, as conexões existentes entre os componentes físico-naturais com os interesses políticos e econômicos. 

Fonte: Adaptação BNCC - CIÊNCIAS HUMANAS – GEOGRAFIA - ENSINO FUNDAMENTAL

6º ano

O SUJEITO E SEU LUGAR NO MUNDO/CONEXÕES E ESCALAS

  • Origem e estrutura do planeta Terra

  • Caracterizar os planetas do Sistema Solar.**

  • Reconhecer o processo de formação do planeta Terra.**

  • Identificar as características das camadas externas e internas da Terra.**

  • Demonstrar, por meio de modelos, a estrutura interna da Terra.**

  • Descrever os movimentos do planeta e sua relação com a circulação geral da atmosfera, o tempo atmosférico e os padrões climáticos.

  • Conhecer as diferentes concepções que explicam a formação da Terra.

  • Compreender a esfericidade da Terra e a força gravitacional.

  • Explicar os conceitos geológicos relacionados à formação e estruturação do planeta Terra.

  • Analisar dados sobre os elementos fundamentais que viabilizam a vida em nosso planeta.

  • Identificar as principais características da Terra, reconhecendo os processos evolutivos do nosso planeta na sua origem, evolução e organização.

  • Identificar que a Terra é o habitat do homem, reconhecendo a dependência existente entre nós e o meio ambiente na constituição da sociedade global.

  • Identificar os diferentes modos de relacionamento que o homem mantém com o meio geopolítico, e as transformações que ele vem promovendo de acordo com suas necessidades e o seu estágio sociocultural.

  • Lugar, paisagem e espaço geográfico

  • Diferenciar os conceitos de lugar, paisagem e espaço geográfico.**

  • Compreender que os lugares, as paisagens e o espaço geográfico são produtos do trabalho humano e que, portanto, estão em constante transformação.**

  • Analisar modificações de paisagens por diferentes tipos de sociedade, com destaque para os povos originários.

  • Comparar modificações das paisagens nos lugares de vivência e os usos desses lugares em diferentes tempos.

  • Explicar as mudanças na interação humana com a natureza a partir do surgimento das cidades.

 

FORMAS DE REPRESENTAÇÃO E PENSAMENTO ESPACIAL

  • Orientação e localização no espaço geográfico

  • Conhecer algumas formas de representação do espaço geográfico.**

  • Compreender a importância do sistema de coordenadas geográficas para localização.**

  • Entender o sistema de orientação pela rosa dos ventos, paralelos e meridianos, bem como o sistema de fuso horário e sua relação com o movimento de rotação da Terra.**

  • Identificar a forma adequada de representação de acordo com o objetivo.

  • Conhecer diferentes tipos de mapa.**

  • Utilizar corretamente as coordenadas geográficas para se localizar nos diferentes espaços.**

  • Elaborar modelos tridimensionais, blocos-diagramas e perfis topográficos e de vegetação, visando à representação de elementos e estruturas da superfície terrestre.

  • Medir distâncias na superfície pelas escalas gráficas e numéricas dos mapas.

Identificar as coordenadas geográficas que representam a localização do território brasileiro, relacionando as zonas térmicas presentes com os fusos horários existentes no Brasil.

Calcular o horário em diferentes pontos da superfície terrestre considerando os fusos, considerando a mudança de variáveis. 

 

MUNDO DO TRABALHO

  •  Recursos naturais: classificação e uso

  • Definir o que são recursos naturais.**

  • Diferenciar os recursos naturais renováveis e os recursos naturais não renováveis.**

  • Reconhecer práticas de aproveitamento sustentável dos recursos naturais.**

  • Analisar distintas interações das sociedades com a natureza, com base na distribuição dos componentes físico-naturais, incluindo as transformações da biodiversidade local e do mundo.

  • Setores da economia e transformações produtivas no campo e cidade

  • Reconhecer os principais setores da economia.**

  • Identificar as atividades que constituem o setor primário.**

  • Descrever as diferenças entre os tipos de pecuária e agricultura existentes.

  • Diferenciar e exemplificar os conceitos de agroindústria e agronegócio.**

  • Identificar as funções dos setores secundário e terciário da economia.**

  • Caracterizar as atividades principais dos setores econômicos secundário e terciário.**

  • Reconhecer o desenvolvimento da indústria a partir dos eventos das Revoluções Industriais e de seus tipos.**

  • Analisar a disponibilização de produtos e serviços.**

  • Identificar as características das paisagens transformadas pelo trabalho humano a partir do desenvolvimento da agropecuária e do processo de industrialização.

  • Sustentabilidade: consumo consciente

  • Delinear o conceito de biodiversidade.**

  • Compreender a relação entre a ação do ser humano e as alterações no ambiente.**

  • Explicar o que é consumo sustentável e consciente.**

  • Compreender a relação entre as ações humanas e o processo de obtenção de produtos, bens e/ou serviços destinados a suprir as necessidades de determinada sociedade.**

  • Identificar de recursos naturais inesgotáveis e recursos naturais renováveis e não renováveis.**

  • Refletir sobre os recursos naturais e a finitude de tais recursos.**

  • Distinguir os setores primários, secundário e terciário de produção e serviços.**

  • Analisar distintas interações das sociedades com a natureza, com base na distribuição dos componentes físico-naturais, incluindo as transformações da biodiversidade local e do mundo.

 

NATUREZA, AMBIENTES E QUALIDADE DE VIDA

  • O que é relevo?

  • Identificar os agentes formadores do relevo.**

  • Relacionar a Teoria da Deriva Continental à Teoria da Tectônica de Placas.**

  • Distinguir os limites das placas tectônicas e suas consequências para a superfície terrestre.**

  • Explicar os processos internos do planeta que resultam em fenômenos naturais como terremotos, vulcões e tsunamis.**

  • Analisar distintas interações das sociedades com a natureza, com base na distribuição dos componentes físico-naturais, incluindo as transformações e da biodiversidade local e do mundo. 

  • Agentes modeladores do relevo

  • Identificar os diferentes tipos de rocha que compõem a litosfera.**

  • Descrever os processos de formação dos diversos tipos de rochas e suas utilidades econômicas.**

  • Descrever os diferentes processos naturais de alteração das rochas que levam à formação dos solos, bem como suas formas de aproveitamento econômico pelo ser humano.**

  • Diferenciar a influência de forças internas e externas do planeta que conduzem a diferentes formas de relevo, bem como a interferências humanas na alteração dessas estruturas.**

  • Identificar as principais formas do relevo continental e do submarino, suas estruturas geológicas, sua dinâmica de formação e sua evolução.**

  • Relacionar padrões climáticos, tipos de solo, relevo e formações vegetais.

  • As águas do planeta

  • Diferenciar as características dos oceanos, mares e águas continentais.**

  • Identificar os principais componentes da morfologia das bacias e das redes hidrográficas.**

  • Reconhecer a importância dos recursos hídricos para o desenvolvimento de atividades econômicas e sociais.**

  • Analisar a utilização dos recursos hídricos e a necessidade de manutenção e preservação.**

  • Descrever o ciclo da água, comparando o escoamento superficial no ambiente urbano e rural, reconhecendo os principais componentes da morfologia das bacias e das redes hidrográficas e a sua localização no modelado da superfície terrestre e da cobertura vegetal.

  • Identificar o consumo dos recursos hídricos e o uso das principais bacias hidrográficas no Brasil e no mundo, enfatizando as transformações nos ambientes urbanos.

  • Explicar as diferentes formas de uso do solo (rotação de terras, terraceamento, aterros etc.) e de apropriação dos recursos hídricos (sistema de irrigação, tratamento e redes de distribuição), bem como suas vantagens e desvantagens em diferentes épocas e lugares. 

  • Introdução à Climatologia

  • Demonstrar a diferença entre tempo atmosférico e clima.**

  • Examinar as particularidades das diversas camadas da atmosfera e a importância delas para a dinâmica natural do planeta.**

  • Reconhecer condições da atmosfera que, combinadas com outros fatores naturais, conduzem à formação de diferentes tipos climáticos.**

  • Diferenciar os diversos tipos de clima e sua importância para as atividades humanas.**

  • Detectar a ocorrência de mudanças climáticas e a influência da humanidade na intensificação desse fenômeno natural.**

  • Explicar os movimentos de rotação e translação, e identificar as repercussões desses movimentos na organização da vida na Terra.**

  • Reconhecer que os movimentos da Terra e que as estações do ano são importantes para o entendimento da dinâmica atmosférica**

  • Relacionar os elementos climáticos (temperatura, umidade e pressão atmosférica) com a altitude, a longitude, a continentalidade e a maritimidade.**

  • Compreender por que existem diferentes tipos de clima e quais são suas principais características.**

  • Entender a dinâmica da atmosfera e as interferências do ser humano nessa dinâmica.**

  • Conhecer os tipos climáticos e sua distribuição espacial pelo planeta.**

  • Analisar consequências, vantagens e desvantagens das práticas humanas na dinâmica climática (ilha de calor etc.).

  • A relação entre clima e vegetação

  • Inferir a relação entre o clima, os diferentes tipos de solo e a vegetação.**

  • Associar como as ações humanas podem interferir no clima e na vegetação.**

  • Identificar os diferentes tipos de formações vegetais.**

  • Distinguir os impactos da alteração da cobertura vegetal no meio ambiente.**

  • Descrever os movimentos do planeta e sua relação com a circulação geral da atmosfera, o tempo atmosférico e os padrões climáticos.

  • Descrever o ciclo da água, comparando o escoamento superficial no ambiente urbano e rural, reconhecendo os principais componentes da morfologia das bacias e das redes hidrográficas e a sua localização no modelado da superfície terrestre e da cobertura vegetal. 

  • Relacionar padrões climáticos, tipos de solo, relevo e formações vegetais

7º ano

O SUJEITO E SEU LUGAR NO MUNDO/CONEXÕES E ESCALAS

  • Brasil: Território e Regionalização

  • Analisar a influência dos fluxos econômicos e populacionais na formação socioeconômica e territorial do Brasil, compreendendo os conflitos e as tensões históricas e contemporâneas.

  • Analisar fatos e situações representativas das alterações ocorridas entre o período mercantilista e o advento do capitalismo.

  • Interpretar e elaborar mapas temáticos e históricos, inclusive utilizando tecnologias digitais, com informações demográficas e econômicas do Brasil (cartogramas), identificando padrões espaciais, regionalizações e analogias espaciais.

  • Caracterizar as dinâmicas dos componentes físico-naturais no território nacional, bem como sua distribuição e biodiversidade (Florestas Tropicais, Cerrados, Caatingas, Campos Sulinos e Matas de Araucária).

  • Comparar unidades de conservação existentes no Município de residência e em outras localidades brasileiras, com base na organização do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC).

  • Identificar as coordenadas geográficas que representam a localização do território brasileiro, relacionando as zonas térmicas presentes com os fusos horários existentes no Brasil.

  • Calcular o horário em diferentes pontos da superfície terrestre considerando os fusos, considerando a mudança de variáveis. 

  • Perceber os diferentes modos de vida dos brasileiros nos diversos lugares e paisagens do Brasil. 

  • Verificar como as pessoas criam vínculos afetivos a partir da vivência que estabelecem lugares e paisagens, experimentando diferentes vivências culturais e discutindo as oportunidades oferecidas pela diversidade cultural brasileira.

  • Brasil: população

  • Selecionar argumentos que reconheçam as territorialidades dos povos indígenas originários, das comunidades remanescentes de quilombos, de povos das florestas e do cerrado, de ribeirinhos e caiçaras, entre outros grupos sociais do campo e da cidade, como direitos legais dessas comunidades.

  • Analisar a distribuição territorial da população brasileira, considerando a diversidade étnico-cultural (indígena, africana, europeia e asiática), assim como aspectos de renda, sexo e idade nas regiões brasileiras.

  • Relacionar os fatores que influenciaram na formação, expansão e regionalização do território brasileiro com as condições sociais da realidade atual do povo brasileiro, caracterizar as diferentes regionalizações e realidades sociais do Brasil.

  • Analisar a formação multiétnica da população brasileira. Compreender que as melhorias nas condições de vida, os direitos políticos, os avanços técnicos e tecnológicos e as transformações socioculturais são conquistas decorrentes de conflitos e acordos que se estabelecem dentro do espaço.

  • Analisar os diferentes fluxos migratórios ocorridos; compreender os diversos fatores que desencadeiam os fluxos migratórios. 

  • Analisar as principais migrações internas e externas, além de relacionar com os conceitos de populoso e povoado. 

  • Analisar o crescimento da população brasileira através de informações e pirâmides etárias. 

  • Analisar mapas de densidades demográficas. Verificar a existência das enormes desigualdades sociais em nosso país.

  • Compreende o contexto sociocultural em que as opiniões são formuladas. 

Conhecer a relevância econômica do Brasil nos contextos regional e mundial, destacando a relevância do Mercosul e do Brics. Analisar a situação do Brasil nos cenários econômico, social e ambiental nos conjuntos regional e internacional

 

FORMAS DE REPRESENTAÇÃO E PENSAMENTO ESPACIAL

  • Brasil: Integração do Território

  • Avaliar, por meio de exemplos extraídos dos meios de comunicação, idéias e estereótipos acerca das paisagens e da formação territorial do Brasil.

  • Analisar a influência dos fluxos econômicos e populacionais na formação socioeconômica e territorial do Brasil, compreendendo os conflitos e as tensões históricas e contemporâneas.

  • Estabelecer relações entre os processos de industrialização e inovação tecnológica com as transformações socioeconômicas do território brasileiro. Formas de representação e pensamento espacial Mapas temáticos do Brasil .

  • Interpretar e elaborar mapas temáticos e históricos, inclusive utilizando tecnologias digitais, com informações demográficas e econômicas do Brasil (cartogramas), identificando padrões espaciais, regionalizações e analogias espaciais. 

  • Elaborar e interpretar gráficos de barras, gráficos de setores e histogramas, com base em dados socioeconômicos das regiões brasileiras.

 

NATUREZA, AMBIENTES E QUALIDADE DE VIDA/MUNDO DO TRABALHO

Utilizar o conceito de domínios morfoclimáticos no contexto das paisagens brasileiras

Diferenciar características físico-naturais de cada domínio morfoclimático brasileiro, bem como sua distribuição.

Explicar quais são as principais redes de transporte no Brasil, além das políticas públicas responsáveis pela organização dessas redes em todo o território

Reconhecer as principais redes de comunicação no Brasil e sua importância para a disseminação da informação

  • Analisar fatos e situações representativas das alterações ocorridas entre o período mercantilista e o advento do capitalismo. 

  • Discutir em que medida a produção, a circulação e o consumo de mercadorias provocam impactos ambientais, assim como influem na distribuição de riquezas, em diferentes lugares.

  • Analisar a influência e o papel das redes de transporte e comunicação na configuração do território brasileiro. 

  • Estabelecer relações entre os processos de industrialização e inovação tecnológica com as transformações socioeconômicas do território brasileiro, respeitando outras visões de mundo.

 

8º ano

O SUJEITO E SEU LUGAR NO MUNDO: População

  • Compreender os fluxos de migração na América Latina (movimentos voluntários e forçados, assim como fatores e áreas de expulsão e atração) e as principais políticas migratórias da região.

  • Descrever as rotas de dispersão da população humana pelo planeta e os principais fluxos migratórios em diferentes períodos da história, discutindo os fatores históricos e condicionantes físico-naturais associados à distribuição da população humana pelos continentes.

  • Relacionar fatos e situações representativas da história das famílias do Município em que se localiza a escola, considerando a diversidade e os fluxos migratórios da população mundial.

  • Compreender os fluxos de migração na América Latina (movimentos voluntários e forçados, assim como fatores e áreas de expulsão e atração) e as principais políticas migratórias da região.

 

CONEXÕES E ESCALAS: O Mundo Hoje

  • Analisar aspectos representativos da dinâmica demográfica, considerando características da população (perfil etário, crescimento vegetativo e mobilidade espacial).

  • Aplicar os conceitos de Estado, nação, território, governo e país para o entendimento de conflitos e tensões na contemporaneidade, com destaque para as situações geopolíticas na América e na África e suas múltiplas regionalizações a partir do pós-guerra.

  • Analisar a situação do Brasil e de outros países da América Latina e da África, assim como da potência estadunidense na ordem mundial do pós-guerra.** 

  • Analisar os padrões econômicos mundiais de produção, distribuição e intercâmbio dos produtos agrícolas e industrializados, tendo como referência os Estados Unidos da América e os países denominados de Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

  • Distinguir e analisar conflitos e ações dos movimentos sociais brasileiros, no campo e na cidade, comparando com outros movimentos sociais existentes nos países latino-americanos. **

  • Analisar áreas de conflito e tensões nas regiões de fronteira do continente latino-americano e o papel de organismos internacionais e regionais de cooperação nesses cenários. **

  • Identificar formas de alcançar o entendimento entre grupos culturalmente diversos.**

  • Compreender os objetivos e analisar a importância dos organismos de integração do território americano (Mercosul, OEA, OEI, Nafta, Unasul, Alba, Comunidade Andina, Aladi, entre outros).

  • Analisar a atuação das organizações mundiais nos processos de integração cultural e econômica nos contextos americano e africano, reconhecendo, em seus lugares de vivência, marcas desses processos.

 

MUNDO DO TRABALHO: O Continente Americano e o O Continente Africano

  • Analisar a influência do desenvolvimento científico e tecnológico na caracterização dos tipos de trabalho e na economia dos espaços urbanos e rurais da América e da África.

  • Analisar os processos de desconcentração, descentralização e recentralização das atividades econômicas a partir do capital estadunidense e chinês em diferentes regiões no mundo, com destaque para o Brasil. Transformações do espaço na sociedade urbano-industrial na América Latina 

  • Analisar as principais problemáticas comuns às grandes cidades latinoamericanas, particularmente aquelas relacionadas à distribuição, estrutura e dinâmica da população e às condições de vida e trabalho.

  • Analisar a importância dos principais recursos hídricos da América Latina (Aquífero Guarani, Bacias do rio da Prata, do Amazonas e do Orinoco, sistemas de nuvens na Amazônia e nos Andes, entre outros) e discutir os desafios relacionados à gestão e comercialização da água.

  • Analisar a segregação socioespacial em ambientes urbanos da América Latina, com atenção especial ao estudo de favelas, alagados e zona de riscos, identificando possíveis medidas mitigadoras.

  • Identificar as principais atividades econômicas desenvolvidas na África.** 

  • Identificar as questões que geram conflitos em países africanos nos dias atuais.** 

 

FORMAS DE REPRESENTAÇÃO E PENSAMENTO ESPACIAL: O Continente Americano e o O Continente Africano

  • Justificar por que a organização espacial da África guarda heranças do passado colonial.** 

  • Elaborar mapas ou outras formas de representação cartográfica para analisar as redes e as dinâmicas urbanas e rurais, ordenamento territorial, contextos culturais, modo de vida e usos e ocupação de solos da África e América. 

  • Interpretar cartogramas, mapas esquemáticos (croquis) e anamorfoses geográficas com informações geográficas acerca da África e América.

  • Examinar as causas da acelerada urbanização no continente africano.** 

  • Analisar os impactos geoeconômicos, geoestratégicos e geopolíticos da ascensão dos Estados Unidos da América no cenário internacional em sua posição de liderança global e na relação com a China e o Brasil.

  • Analisar a influência do desenvolvimento científico e tecnológico na caracterização dos tipos de trabalho e na economia dos espaços urbanos e rurais da América e da África.

 

NATUREZA, AMBIENTES E QUALIDADE DE VIDA

  • Analisar características de países e grupos de países da América e da África no que se refere aos aspectos populacionais, urbanos, políticos e econômicos, e discutir as desigualdades sociais e econômicas e as pressões sobre a natureza e suas riquezas (sua apropriação e valorização na produção e circulação), o que resulta na espoliação desses povos.

  • Analisar o papel ambiental e territorial da Antártica no contexto geopolítico, sua relevância para os países da América do Sul e seu valor como área destinada à pesquisa e à compreensão do ambiente global.

  • Identificar os principais recursos naturais dos países da América Latina, analisando seu uso para a produção de matéria-prima e energia e sua relevância para a cooperação entre os países do Mercosul. **

  • Identificar paisagens da América Latina e associá-las, por meio da cartografia, aos diferentes povos da região, com base em aspectos da geomorfologia, da biogeografia e da climatologia. **

  • Utilizar representações visuais de problemas, estruturas e dados (por exemplo, gráficos, tabelas, diagramas de rede, fluxogramas).**

  • Analisar as principais características produtivas dos países latino-americanos (como exploração mineral na Venezuela; agricultura de alta especialização e exploração mineira no Chile; circuito da carne nos pampas argentinos e no Brasil; circuito da cana-de-açúcar em Cuba; polígono industrial do sudeste brasileiro e plantações de soja no centro-oeste; maquiladoras mexicanas, entre outros).

Área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Ciências

O ensino de Ciências é por excelência uma atitude de comprometimento e reflexão sobre a condição do homem no planeta. Não se trata meramente do estudo de fenômenos naturais, mas de transcender do senso comum para uma compreensão ecológica e científica da realidade em que vivemos. Essa tendência carrega consigo discussões de ordem social, política, econômica e antropológica, uma vez que estudos atuais vêm percebendo que os problemas que afetam o ambiente são amplamente multidisciplinares. Não cabe mais uma discussão compartimentalizada, mas um estudo transdisciplinar, envolvendo a complexidade e a ética do saber numa profundidade necessária e essencial a esse propósito.

O ensino de Ciências pode contribuir para formar um cidadão crítico e ativo quando possibilita ao aluno transformar sua curiosidade ingênua em curiosidade epistemológica, tendo a possibilidade de observar, questionar e problematizar sua realidade, levantando hipóteses, comunicando, debatendo, analisando e apresentando soluções, reconhecendo que o conhecimento científico não é um conhecimento pronto e acabado mas que é um conhecimento em constante construção, que pode ser modificado e melhorado, e, principalmente, que ele está absolutamente imbricado com a realidade que se apresenta. O curso de Ciências tem que favorecer a construção de sujeitos-alunos mais autônomos na ação de aprender através de um ensino mais contextualizado.

A aquisição de conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais é, sem dúvida, importante, mas não é a única finalidade da aprendizagem escolar. A escola deve proporcionar aos estudantes conhecimentos e instrumentos consistentes, permitindo-lhes desenvolver critérios para decisões pessoais, para analisar fenômenos naturais e processos tecnológicos.

Nessa perspectiva, o aprendizado das Ciências no Ensino Fundamental do 6º ao 8º ano organiza os conteúdos a partir de 3 grandes unidades temáticas: Vida e Evolução, Matéria e Energia, Terra e Universo possibilitando ao estudante compreender o papel do ser humano na transformação do meio ambiente; propor alternativas para a problemática da falta de água potável e do uso consciente dos meios de transporte; compreender a necessidade crescente de energia e as consequências ambientais disso; refletir sobre a existência do ser humano, na Terra, no Universo e também no próprio significado da vida.

6º ano
  • Investigar a composição do Cosmos, sob uma perspectiva histórica, desde a observação contemplativa até a elaboração dos modelos geocêntrico e heliocêntrico, compreendendo o contexto sociocultural em que as opiniões são formuladas e fazendo conexão entre ideias específicas e amplas, prévias e novas, a partir de diferentes caminhos, através de uma análise historiográfica.

  • Após reconhecer os principais movimentos da Terra – rotação e translação – inferir que mudanças na sombra dos corpos estão relacionadas com a movimentação da Terra, selecionando argumentos e evidências que demonstrem a esfericidade da Terra.

  • Compreender o processo de formação do solo e diferenciar os seus tipos, identificar os tipos de rocha, relacionando a formação de fósseis em diferentes períodos geológicos, eliciando a percepção de efeito de causalidade entre a origem do Universo, os componentes da matéria e a formação da Terra, de modo a tomar consciência sobre sua própria capacidade de aprender e refletir sobre por que e como a aprendizagem desenvolvida pode ser relevante e duradoura.

  • Caracterizar a atmosfera em termos de composição e estrutura e explicar a importância do efeito estufa como fator imprescindível a manutenção da vida na Terra, à cria um plano de investigação que aborda diversos aspectos de um problema.

  • Relacionar os gases atmosféricos às atividades e funções vitais dos organismos e compreender como a atividade humana afeta a atmosfera, através da observação crítica da ação humana sobre a natureza, avaliando a pertinência e confiabilidade de uma variedade de fontes ao buscar informações para a resolução de problemas.

  • Explicar o conceito de matéria, desde os elementos fundamentais até os componentes derivados, identificar as evidências das transformações físicas e químicas que originam novos produtos. e classificar os materiais por suas propriedades, selecionando os elementos mais importantes do novo conhecimento, em articulação com os conhecimentos prévios, para encontrar os significados entre as diferentes partes da informação;

  • Explicar a organização básica das células e seu papel como unidade estrutural e funcional dos seres vivos e concluir, com base na análise de ilustrações e/ou modelos (físicos ou digitais), que os organismos são um complexo arranjo de sistemas com diferentes níveis de organização, por conexão entre ideias específicas e amplas, prévias e novas, a partir de diferentes caminhos.

  • Compreender a reprodução (sexuada e assexuada) como mecanismos de manutenção da espécie e demonstrar os diferentes mecanismos de reprodução dos seres vivos, com ênfase na interpretação de dados e informações com base em critérios científicos, éticos e estéticos. Posicionamento crítico.

  • Reconhecer que o solo abriga uma diversidade de seres abióticos e bióticos e conhecer as principais técnicas de manejo do solo usado na agricultura, através da experimentação de opções e avaliação de riscos e incertezas para colocar ideias em prática.

  • Explicar a origem e manutenção da quantidade de água no planeta, conhecer suas propriedades e os fatores que interferem nas mudanças de estado físico da matéria, pelo uso de raciocínio indutivo e dedutivo para analisar e explicar recursos, soluções e conclusões de processos de investigação.

  • Conhecer o processo e os mecanismos utilizados para o tratamento da água e do esgoto, e perceber, criticar e repudiar as diferentes formas de desperdício, ficando confortável e interessado por lidar com os desafios do mundo real, locais ou globais.

  • Interpretar as condições de saúde da comunidade, cidade ou estado, com base na análise e comparação de indicadores de saúde (como taxa de mortalidade infantil, cobertura de saneamento básico e incidência de doenças de veiculação hídrica, atmosférica entre outras) e dos resultados de políticas públicas destinadas à saúde.

  • Compreender a dinâmica de movimentação das placas tectônicas na formação dos atuais continentes terrestres e as causas de fenômenos da natureza tais como, terremotos, maremotos e atividades vulcânicas.

  • Diferenciar os componentes da litosfera, atmosfera e hidrosfera, de acordo com os elementos que os compõem e abordar a dinâmica de sua relação.

  • Relacionar os gases atmosféricos às atividades e funções vitais dos organismos e compreender como a atividade humana afeta a atmosfera, através da observação crítica da ação humana sobre a natureza, avaliando a pertinência e confiabilidade de uma variedade de fontes ao buscar informações para a resolução de problemas.

  • Discutir iniciativas que contribuam para restabelecer o equilíbrio ambiental a partir da identificação de alterações climáticas regionais e globais provocadas pela intervenção humana, pela utilização de seus conhecimentos, habilidades e atitudes com confiança e coragem para aprimorar estratégias e vencer desafios presentes e futuros.

  • Avaliar como os impactos provocados por catástrofes naturais e componentes físicos, biológicos ou sociais de um ecossistema afetam suas populações, podendo ameaçar ou provocar a extinção de espécies, alteração de hábitos, migração etc.

7º ano
  • Explicar a função dos níveis tróficos das cadeias alimentares e teias alimentares e sua importância para garantir o equilíbrio dos ecossistemas, explicando as formas como grupos e identidades culturais mudam com o passar do tempo e em diferentes contextos.

  • Compreender o processo da fotossíntese e relacionar a capilaridade com o transporte da seiva nos vegetais.

  • Conhecer os critérios de classificação dos reinos e também os níveis de organização dos seres vivos, Interpretando dados e informações de maneira precisa, considerando o contexto em que foram produzidos.

  • Reconhecer que o solo abriga uma diversidade de seres abióticos e bióticos e conhecer as principais técnicas de manejo do solo usado na agricultura, através da experimentação de opções e avaliação de riscos e incertezas para colocar ideias em prática.

  • Compreender as inter-relações harmônicas e desarmônicas entre os seres vivos, distinguindo fatos de opiniões oriundas de diferentes fontes de informação. 

  • Descrever o ciclo de vida dos parasitas no corpo humano.

  • Cuidar da sua saúde física, bem-estar, sexualidade e evitar exposição a riscos.

  • Explicar as características dos vírus e dos microrganismos (protozoários, fungos e bactérias), considerando o processo evolutivo e também identificando as doenças causadas por esses seres.

  • Compreender a necessidade de manter uma rotina de higiene e cuidados com o corpo, pela avaliação de necessidades e riscos relativos à saúde e incorporação de estratégias para garantir bem-estar e qualidade de vida.

  • Praticar hábitos de higiene corporal e ambiental como atitudes favoráveis à manutenção da saúde, compartilhando informações e experiências com pessoas do seu convívio pessoal e social.

  • Compreender as transformações que ocorrem na puberdade, diferenciando puberdade de adolescência, e ponderar sobre a capacidade de lidar com mudanças relativas ao crescimento, pela utilização de seus conhecimentos, habilidades e atitudes com confiança e coragem para aprimorar estratégias e vencer desafios.

  • Comparar diferentes processos reprodutivos em plantas e animais em relação aos mecanismos adaptativos e evolutivos, passando a considerar seus valores em situações novas, ponderar sobre o que é mais a se fazer antes de agir.

  • Analisar e explicar as transformações que ocorrem na puberdade considerando a atuação dos hormônios sexuais, aprende a lidar com seus pontos fortes e fragilidades de maneira consciente e respeitosa, enfrentando pressões sociais e investindo no seu aprimoramento.

  • Compreender o ciclo menstrual, e assim reconhecer o impacto de suas emoções e sentimentos no contexto escolar e social.

  • Diferenciar calor de temperatura, prevendo possibilidades, testando consequências para colocar ideias em prática, aprendendo com erros e acertos.  

  • Relacionar calor, temperatura e equilíbrio térmico determinando uma pergunta central e perguntas de esclarecimento para orientar a investigação, a partir de um tópico específico e de um problema ou desafio.

  • Compreender como ocorrem os processos de transmissão de calor, e através disso formular hipóteses claras e testáveis.

  • Utilizar o conhecimento das formas de propagação do calor para justificar a utilização de determinados materiais (condutores e isolantes) na vida cotidiana

  • Explicar o princípio de funcionamento de alguns equipamentos (garrafa térmica, coletor solar etc.) e/ou construir soluções tecnológicas a partir desse conhecimento. 

  • Compreender como ocorre o equilíbrio térmico nos animais.

  • Reconhecer os fenômenos atmosféricos (geada, granizo, neve, orvalho, etc) e posicionar-se criticamente a partir de critérios científicos, estéticos e éticos.

 

8º ano
  • ** Para além da BNCC

  • Justificar, por meio da construção de modelos e da observação da Lua no céu, a ocorrência das fases da Lua e dos eclipses, com base nas posições relativas entre Sol, Terra e Lua fazendo conexões claras e adequadas entre ideias amplas a partir de diferentes caminhos.** 

  • Representar os movimentos de rotação e translação da Terra e analisar o papel da inclinação do eixo de rotação da Terra em relação à sua órbita na ocorrência das estações do ano, com a utilização de modelos tridimensionais.

  • Relacionar climas regionais aos padrões de circulação atmosférica e oceânica e ao aquecimento desigual causado pela forma e pelos movimentos da Terra. 

  • Identificar as principais variáveis envolvidas na previsão do tempo e simular situações nas quais elas possam ser medidas. 

  • Discutir iniciativas que contribuam para restabelecer o equilíbrio ambiental a partir da identificação de alterações climáticas regionais e globais provocadas pela intervenção humana.

  • Identificar e classificar diferentes fontes (renováveis e não renováveis) e tipos de energia utilizados em residências, comunidades ou cidades. 

  • Construir circuitos elétricos com pilha/bateria, fios e lâmpada ou outros dispositivos e compará-los a circuitos elétricos residenciais. 

  • Classificar equipamentos elétricos residenciais (chuveiro, ferro, lâmpadas, TV, rádio, geladeira etc.) de acordo com o tipo de transformação de energia (da energia elétrica para a térmica, luminosa, sonora e mecânica, por exemplo). 

  • Calcular o consumo de eletrodomésticos a partir dos dados de potência (descritos no próprio equipamento) e tempo médio de uso para avaliar o impacto de cada equipamento no consumo doméstico mensal. 

  • Propor ações coletivas para otimizar o uso de energia elétrica em sua escola e/ou comunidade, com base na seleção de equipamentos segundo critérios de sustentabilidade (consumo de energia e eficiência energética) e hábitos de consumo responsável. 

  • Discutir e avaliar usinas de geração de energia elétrica (termelétricas, hidrelétricas, eólicas etc.), suas semelhanças e diferenças, seus impactos socioambientais, e como essa energia chega e é usada em sua cidade, comunidade, casa ou escola selecionando os elementos mais importantes de um novo conhecimento e articulando com conhecimentos prévios.**

  • Comparar diferentes processos reprodutivos em plantas e animais em relação aos mecanismos adaptativos e evolutivos. 

  • Analisar e explicar as transformações que ocorrem na puberdade considerando a atuação dos hormônios sexuais e do sistema nervoso. 

  • Comparar o modo de ação e a eficácia dos diversos métodos contraceptivos e justificar a necessidade de compartilhar a responsabilidade na escolha e na utilização do método mais adequado à prevenção da gravidez precoce e indesejada e de Doenças Sexualmente Transmissíveis (IST). 

  • Identificar os principais sintomas, modos de transmissão e tratamento de algumas IST (com ênfase na AIDS), e discutir estratégias e métodos de prevenção. 

  • Selecionar argumentos que evidenciem as múltiplas dimensões da sexualidade humana (biológica, sociocultural, afetiva e ética).

  • Compreender que o homem altera o espaço onde vive de acordo com suas necessidades e ao longo do tempo e refletir a respeito da importância e consequências da ação humana na transformação das paisagens.

  • Compreender as Ciências da Natureza como empreendimento humano, e o conhecimento científico como provisório, cultural e histórico.**

  • Compreender conceitos fundamentais e estruturas explicativas das Ciências da Natureza, bem como dominar processos, práticas e procedimentos da investigação científica, de modo a sentir segurança no debate de questões científicas, tecnológicas e socioambientais.**

  • Analisar, compreender e explicar características, fenômenos e processos relativos ao mundo natural, social e tecnológico (incluindo o digital), como também as relações que se estabelecem entre eles, exercitando a curiosidade para fazer perguntas, buscar respostas e criar soluções com base nos conhecimentos das Ciências da Natureza.**

  • Construir argumentos com base em dados, evidências e informações confiáveis e negociar e defender ideias e pontos de vista que promovam a consciência socioambiental e o respeito a si próprio e ao outro, acolhendo e valorizando a diversidade de indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza.**

  • Conhecer, apreciar e cuidar de si, do seu corpo e bem-estar, compreendendo-se na diversidade humana, fazendo-se respeitar e respeitando o outro, recorrendo aos conhecimentos das Ciências da Natureza e às suas tecnologias.**

  • Agir pessoal e coletivamente com respeito, autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, recorrendo aos conhecimentos das Ciências da Natureza para tomar decisões frente a questões científico-tecnológicas e socioambientais e a respeito da saúde individual e coletiva, com base em princípios éticos, democráticos, sustentáveis e solidários.**